quarta-feira, outubro 12, 2011

"Comece por Si"


o nome do workshop, por si só, já me chamava e dizia: o caminho é este, Inês, mas na realidade e para ser franca, quando decidi participar não sabia muito bem ao que ia. do que falo? falo dos workshops da Sílvia Baptista, em especial do workshop "Comece por si" em que tive a oportunidade de participar há 2 semanas.

confesso que fui um bocadinho a medo. medo de me expor, medo de me sentir constrangida no meio de tantas estranhas, medo de sair do meu espaço de conforto. no primeiro dia, e aos poucos, percebi que naquele grupo de 13 mulheres (o coaching da Sílvia Baptista é dirigido unicamente a mulheres) era muito mais aquilo que nos unia do que o que nos separava. e isso foi, por si só, uma descoberta e uma ferramenta que nos permitiu durante aqueles dois dias podermos/conseguirmos/querermos expor os nossos medos, as nossas dúvidas e os nossos receios.

eu estou em casa há 10 meses. 10 meses de muitas interrogações, 10 meses de diminuição contínua da minha auto-confiança e auto-imagem, 10 meses de uma procura sem fim.

se eu dissesse que o workshop me fez ver a "luz" e me resolveu todos os problemas estaria, obviamente, a mentir (até porque não é esse o seu propósito) mas a verdade é que houve um "clique" que se fez. um olhar para aquele local quase sempre esquecido e desamado. uma busca onde nunca procuramos. A Sílvia diz-nos "Comece por Si" e é isso que desde o workshop tenho tentado fazer. Olhar-me bem cá dentro, perceber as minhas dúvidas e, acima de tudo não deixar que os meus pensamentos (aqueles pensamentos que todas temos nalguma fase da nossa vida: "sou insegura", "não consigo", "é melhor nem tentar"...) me toldem a capacidade de imaginar, planear e avançar. porque, tal como foi repetido tantas vezes no workshop "eu não sou os meus pensamentos".

fez-me bem parar aqueles 2 dias. parar e dar-me tempo. a mim. e agora, a cada momento em que percebo uma nesga de insegurança, um pensamento mais negativo, eu paro. paro, respiro e...avanço.

(obrigada, Sílvia.)

8 comentários:

Susie disse...

Isso parece-me muito bem... estava a precisar de uma coisas dessas.

Força, Inês!

Susana disse...

Muito bem. Não conhecia, mas vou ler o blog dela com atenção. E tu consegues dar a volta, claro que consegues. bj

Mónica disse...

:)

rosinha_dos_limoes disse...

:)
(eu quando vi - penso que no teu fb o link de amizade - pensei logo que tinha de ir :p mas tive um casamento nesse fds)

às vezes o que é preciso é isso, uns cliques ;)

luz-estelar disse...

Eh pá, parece-me tão bem. :)

akombi disse...

já 10 meses?....puxa o tempo passa mesmo rápido, parece que ainda ontem aqui estava a ler o relato do teu último dia de trabalho.


por aqui optei pela maternidade e desde há 12 anos que vou tendo trabalhos temporários, mas desde há 2 anos e nessa altura com 35 anos comecei a reparar que nem ás entrevistas do centro de emprego me ajudavam e deixei de procurar trabalho.
Destes 12 anos nunca senti o que descreves limito-me a aproveitar a parte positiva que a vida me dá, e entre dedicar-me ás coisas normais de mãe e mulher casada, dedico-me tb a mim bem como ao trabalho do marido que por trabalhar por conta própria faz com que tenha bastantes coisas para fazer, no entanto não deixo de ouvir comentários de pessoas de fora que talvez se sintam frustradas com a vida que levam e me acusam de não fazer nada, é aquela ideia estereotipada que a mulher que está em casa é uma desocupada, no entanto tenho sempre coisas para fazer que acho que esse workshop me iria tirar tempo importante, não que seja importante mas não sinto essa necessidade, por agora.

Dedica-te ao que te faz sentir bem, descobre coisas simples que te podem dar prazer, sei que a sociedade nos torna frustrante ter formação e não exercer a profissão, ou não ter aquele ordenado que ajuda em bens materiais ou a outro conforto, mas a vida é tão curta que ao aproveitar-mos momentos que podem ser insignificantes torna-mos a vida tão especial.

Ânimo e um beijinho grande.

Helena Barreta disse...

Não vale desanimar. Vai ver que mais dia menos dia encontra-Se.

um beijinho

Costinhas disse...

eu estou ansiosa pela nossa conversa :)

beijos!