quinta-feira, novembro 03, 2005

7 meses...de mim!


costumamos aproveitar os "mesários" dos putos para fazermos um balanço das suas aquisições...desta vez deu-me ao contrário, vou-me "balançar" a mim...como mãe que sou...há 7 mesinhos! :o)

quando o diogo nasceu eu não sabia nada...li muito, fartei-me de tentar preencher a lacuna que era a minha falta de experiência mas só consegui ganhar muita teoria (alguma para mais tarde recordar, muita para deitar fora!); sendo assim, a prova de fogo começou logo na maternidade...

o diogo foi o primeiro recém-nascido que tive nos braços; foi o primeiro bébé a quem mudei uma fralda (na maternidade, cheia de medo de errar..); foi o primeiro rebento que embalei para dormir...

olhando para trás, para aquela primeira noite medonha em casa, para a sensação de que nunca seria capaz, de que a responsabilidade era demasiado grande (esta ainda não consegui ultrapassar completamente, mas enfim)...olhando para trás só consigo sorrir...e sentir algum orgulho na mãe em que me tornei...e ficar fascinada, uma vez mais, com esta natureza materna que nos prepara, sem darmos conta, para o maior papel da nossa vida...

há apenas 2 anos atrás a minha realidade actual era algo inconcebível na minha cabeça. porque não queria ser mãe (nunca quis até planear a gravidez do diogo). porque primeiro vinha eu. vinha a minha liberdade.

hoje a minha liberdade é apenas a liberdade que tenho, felizmente, de poder estar com o meu filho e vê-lo crescer segundo a segundo, dia a dia, mês a mês...

completei ontem 7 meses como mãe. e acho que nunca me orgulhei do que fui/sou como no momento presente! :o)

ps - post para mais tarde recordar, quando as hormonas fizerem das suas...sem dúvida!

ADENDA - só para esclarecer uma coisinha...o meu orgulho não é no facto de me achar uma super mãe ou uma mãe xpto (não estou sequer perto disso)! o meu orgulho tem apenas a ver com o percurso que sinto/sei que percorri desde que, pela primeira vez, me colocaram o diogo nos braços ;o) obrigada a todas pelas palavras amigas...

22 comentários:

Anónimo disse...

Inês,

Tenho 3 filhos com tu sabes..o mais velho tem 8 anos completos e eu AINDA acho que sou uma mãe incompleta, imperfeita....Mas pergunto-me..haverá mães perfeitas e perfeitas???

Adoro os meus filhos mais que tudo nessa vida, mas ás vezes tenho saudades de ter um bocadinho de tempo para mim..assim sem pensar em refeições, fraldas, banhos e horas de sono.

Somos sobretudo humanas. Mulheres, mas de carne e osso. Mães mas não super.

Alguém da psicologia já dizia que as crianças precisam de mães (apenas) suficientemente boas.

Muitos parabéns pelos 7 mesinhos!

Beijo

Ana Bochicchio

Lurdes Silva disse...

...És fantástica amiga!... Babo-me de orgulho!
BEIJOS E PARABÉNS

Anónimo disse...

O que uma Mãe "INCHA" ao ver uma Filha crescer ASSIM!!! :)

Bjiños

Mummy

Anónimo disse...

não sou mãe ainda, mas penso que é realmente uma grande alegria criar os nossos filhos.Tenho 25 anos, já tive um aborto e espero engravidar o mais rápido para sentir por mim mesma o que é o dom da maternidade.
Muita alegria e felicidades para ti!!!
bEIJINHOS DA Leonor

Tia Moky disse...

Lindo post duma linda mulher que é mãe!

beijos

Mãezite disse...

:)

Sara disse...

beijinhos

Someone Here disse...

:) Lindo!

Anónimo disse...

Nunca tive dúvidas!...

ÉS UMA MÃE *****

Como te disse numa noite de turbulência: "Inês, eu vi-te mudar a fralda, pela 1ª vez sem rede, vais ser uma excelente mãe!"

Deixo o meu testemunho (já que não tenho qualificações para te dar diploma)-PARABÉNS MÃE BABADA!

*Cindy de lágrima no olho*

Karla disse...

Ó melher! Quem olha para essa cara laroca do teu filho alguma vez duvida de que tu és uma mãe às direitas? Claro que não! Parabéns mamã!

lenia disse...

ora bem... tu tens um ganda filho, lindo que até dói. a carinha dele não engana: é um bebé feliz.

e tu, minha querida, és uma ganda mãe. eu não sou mãe, portanto não sou eu que sirvo de termo de comparação. é o que me rodeia. e tu... tens jeito! nasceste para isso, rapariga!

beijos a ti, a ele e uma festa na barriga!

Susana disse...

Inês, muitos parabéns pelos teus 7 meses como mãe, diga-se de passagem, de uma excelente mãe, brindaste-nos sempre com as tuas decobertas, indecisões, receios e muitas certezas, mas acima de tudo com o amor que tens pelo teu filho lindo, gostei muito deste teu post, do olhar para dentro de ti.. ;) Beijinho, grande..

Rute disse...

Olá Inês... estou de lágrima ao canto do olho... quer pelo post lindo que escreveste, quer por alguns dos comentários que li.

Tal como disse a Ana Bochicchio nós somos humanas, somos mães... não super mães e eu acho que os nossos filhos precisam de mães reais e não perfeitas.

Eu amo ser mãe e amo o meu filho com todas as minhas forças... e espero que um dia ele me ame... como eu amo a minha mãe, ou seja como uma mãe e não como uma mãe perfeita, porque eu amo os seus defeitos e virtudes... amo-a como ela é!

BEIJOS DO TAMANHO DO MUNDO.
Rute e André

Mar disse...

Inês, como descobrimos dia 2, sou mãe há mais um mês que tu. Ao contrário de ti, até tinha prática com bebés pequeninos. Não adianta nada. A insegurança, a sensação de não conseguir suportar a responsabilidade é a mesma. A prática com o nosso filho e o instinto é que fazem milagres! O Diogo é um miúdo feliz, vê-se pelas fotos! Beijinhos e parabéns!

PS - Depois logo dizes se a coisa melhora no segundo...

mamã Diana disse...

Lindo, o que acabei de ler! Sem palavras.

Beijos enormes.

AnaBond disse...

sabes que mais?
adorei...

também eu passei pelo mesmo que tu nos primeiros dias (a primeira muda de fralda, um recém nascido nos meus braços...), também eu senti medo na primeira noite em casa sem o auxilio das enfermeiras...

e também eu me orgulho no que me transformei...

por isso adorei o que escreveste... e consigo compreender muito bem.

não duvides nunca que és uma excelente mãe para o teu filho... és única, e isso diz tudo.
para o Diogo e para quem vier... és tu, e só isso basta.

beijo enorme.

ana disse...

lindo! :)

beijinhos

ps: e a barrinha, lá em cima, a assinal a evolção desta segunda fantástica gravidez. o meu palpite? uma menina ervilha para azer companhia ao ervilho diogo.

lila disse...

Nem sei o que dizer...tal é a empatia!
Também sou mãe há sete meses (mais uns dias) e sei bem do que falas...da primeira fralda, da sensação de incapacidade...
Do orgulho declarado de querer e de ser uma boa mãe (e tu és)!!!
beijinhos

Miragem disse...

Um caminho de/para a felicidade... ;)

Lúcia disse...

Adorei o texto.
Parabéns

Costinhas disse...

Lindo.

E discordo contigo no facto de não seres uma super mãe. Tu és a melhor do mundo para o teu filho que já naceu e também o vais ser para o que está a caminho!

Um grande beijinho.
Sandra

... disse...

Querida Inês

O meu coment. vem um pouco tarde, mas espero que ainda a tempo. Foste mãe exactamente um ano depois de mim. Acompanhei a tua gravidez à medida que eu própria crescia como mãe. Comecei a ler o teu blog todos os dias (mesmo antes de começar a comentar, mesmo antes do meu blog existir) porque me revia imensamente em ti, nas tuas dúvidas, alegrias e pequenas/grandes ansiedades de grávida de primeira viagem. Lembrava-me o que tinha passado...e sabia (mais ou menos) aquilo por que irias passar, por ter acontecido comigo há tão pouco tempo...Mas o mais engraçado disto tudo é que, durante estes sete meses em que acompanhei o crescimento do teu Diogo, milhares de vezes pensei: ela tornou-se mesmo numa excelente mãe. E o certo é que serviste muitas vezes de exemplo aqui para esta mãe bem mais voluntariosa e impaciente(eu)que "previu" alguns "momentos" porque irias passar...mas que pensa muitas vezes em ti como exemplo.

Parabéns pelo teu texto, pela tua auto avaliação sem artifícios e, claro, pela Mãe que és!

Mocas