terça-feira, janeiro 08, 2008

ainda (e sempre) da dor

continuo a chorar muito. mais do que há uns tempos atrás, acho. choro sempre sózinha, não gosto de partilhar esta dor. se me perguntam como estou digo a verdade, que estou bem. porque a maior parte do tempo estou bem.

mas...

sempre que lembro o meu pai com o diogo, o seu D. Diogo, aperta-se-me o coração e não consigo aceitar. sempre que me lembro da última vez que se viram, já no hospital, não consigo aceitar. sempre que me lembro do imenso orgulho que o meu pai tinha no neto, não consigo aceitar. sempre que penso em tudo o que o meu pai passou e na força imensa que demonstrou, não consigo aceitar.

e sei que enquanto não aceitar não vou conseguir prosseguir o caminho que tracei para mim e para os meus: viver a vida cada dia como se fosse o último, o mais precioso.

27 comentários:

Alda disse...

Entendo-te bem, minha querida, ainda que a dor não seja comparável. Acredito que um dia a dor aligeira, mesmo que a saudade possa ser cada vez maior.

Um grande, grande beijinho no teu (bonito) coração.

Estrelinha Simão disse...

Fazer o luto é muito dificil. Esqueçer? para mim vai ser quase impossivel, embora o tempo ajude a dor a diminuir. Tenho momentos dificeis, especialmente quando ponho os pés no terra.

Acredito e quero acreditar que daqui a uns anos, as memórias que venha a ter sejam só as boas e não aquelas que neste presente nos ferem tanto a alma (camas de hospital, o sofrimento disfarçado com sorrisos pouco convictos de forma a esconder o sofrimento de ambas as partes, a ultima vez que nos vimos sem saber q era a ultima, sei lá)

Acredito que daqui a algum tempo só os momentos bons vão ser recordados.

acredita tu tb...

beijo

ana disse...

mas não sintas, de forma alguma, que por não aceitares (ainda), te encontras parada. o caminho é esse. o tempo que precisas é só teu.

um abraço grande e quentinho, querida inês.

carla disse...

Um beijinho minha querida Inês.

Mãe Frenética disse...

Enqto choras, já não é nada mau. Lava a alma...

Um beijinho grande Inesinha.

nosurprises disse...

Se calhar é essa a razão porque continuas a sofrer tanto, por ser em silêncio....porque tentas "mandas" cá pra fora o que te vai na alma?
Irias sentir-te melhor certamente.
Tenho a minha mãe internada e por pouco ia sendo fatal. Felizmente está a recuperar mas consigo entender-te.
Um beijinho

outrosdias disse...

Abraço apertado...

LP disse...

Tens o direito de sofrer, de chorar, de estares triste. Dá-te esse direito. Eu não conheço essa dor (pelo menos tão profunda) mas acredito que se atenu mesmo que agora pareça impossível.

Um beijo grande, grande

momentosaoluar disse...

as lágrimas vieram-me aos olhos quando li...

rute29 disse...

Beijinho querida ... sempre aqui!|

Luisa disse...

Infelizmente também conheci essa dor recentemente. E tal como tu, não consigo aceitar que o meu pai não veja o neto (de quem tinha tanto orgulho) crescer.

Um grande beijinho

Anónimo disse...

Um enorme beijinho Inês.

Patrícia+Gustavo(32meses)+Inês(18 semanas cá dentro)
pajbcoelho@yahoo.com.br

maedoskiduxos disse...

Um beijo enorme...faltam-me as palavras.

mamã Diana disse...

Beijo e um abraço apertadinho...

Luisa disse...

Minha querida,

claro que entendo a tua opinião no comentário ao meu post e não te levo a mal. As situações que nós vivemos foram diferentes. Infelizmente a tua dor arrastou-se por um longo período de tempo até ao triste desfecho (e continua). A minha dor começou quase subitamente. Espero ter-me explicado bem.

Embora em circunstâncias tristes, obrigada pela tua visita.

Muitos beijinhos

Palmira disse...

gosto muito do teu blog. acompanho-o desde a altura que engravidei da Leonor (e ela já tem 18 meses). gosto muito do teu carácter e coragem materna. espero que possas encontrar as fosrças que precisas neste momento doloroso. gostaria que visitasses o meu cantinho que comecei recentemente. seria uma honra. beijinhos

TrêsGatosMiaus disse...

"(...) é uma dor pequeninha,
quase como se não fosse,
é como uma tangerina
tem um sumo agre e doce

De onde vem essa dor
se a causa não se vê.
Não esponhas essa dor
é preciosa é só tua
não a mostres tem pudor
é o lado oculto da lua.(...)"

Beijocas

Cláudia

Anónimo disse...

Sabes quem eu sou busca la no fundinho baixa esse murito e deixa-me entrar eu sei que te posso compreender,embora não tenha solução mando-te um beijo do fundo do coração.

Mãe da malta disse...

Um abraço!

I disse...

Olá Inês!
Como já lhe disse por mail custa muito e ainda vai custar mais, desculpe dizer isto mas infelizmente sei do que falo... Mas minha querida acredite que vai amenizar, a pior fase é esta é quando passou pouco tempo mas para nós já passou tanto e ao mesmo tempo parece que foi intem ( confuso!)
Mas sabe Ines tem de aceitar, pois só assim se vai conseguir acalmar essa dor.
Quanto a chorar, chore só faz bem ,lava a alma... Eu choro muito pela minha mãe, e já passaram 5 anos, ainda ontem chorei, tenho muitas saudades, mas agora são saudades serenas.
Só para terminar digo-lhe o que também já lhe disse, agarre-se aos seus filhos, pense sempre neles qdo estiver mais em baixo e lembre-se q o seu pai a queria ver sorrir.........

Desculpe o testamento

Beijos enormes

Inês

Irina disse...

É mesmo muito triste, eu engravidei exactamente no ano em que o meu sogro faleceu e ele nem sequer chegou a saber que iria ter um neto..quando falava imenso dessa vontade...o meu sogro morreu de cancro do pulmão em dois meses. Nós também choramos as vezes todas as semanas outras semana sim e outras não...acredito que iremos chorar sempre toda a vida.
As pessoas que amamos são muito importantes sempre, estejam ou não connosco e de certeza que continuas a ouvir a voz do pai e irás ouvir sempre e isso não é mau, é bom, é sinal que o tempo não apagou as recordações.

Anónimo disse...

Inês,

Sempre que escreves sobre o teu pai, sinto uma dor tão grande cá dentro que não sei explicar... e não consigo evitar de chorar... é quase como se antecipasse um futuro que não quero que chegue nunca...

Felizmente os meus pais estão bem de saúde e espero que assim se mantenham por muitos anos. Mas já perdi todos os meus avós há vários anos, e apesar da dor não ser a mesma, custou-me muito e ainda hoje os choro.

Sei que nada do que te possamos dizer te vai aliviar... mas tem esperança que um dia vais acordar e não vai doer tanto...

Um Beijo grande e um abraço muito apertadinho,

Lena
(http://pensamentossoltos.blogs.sapo.pt/)

juliana pinto da costa disse...

minha querida, um abraço muiiiito apertadinho

Margarida Atheling disse...

Um beijinho e um abraço muito, muito grande, querida Inês!
Não posso fazer mais nada, porque se pudesse... garanto-te que faria!

Caracoleta disse...

Como eu te entendo...a dor nao passa, atenua-se mas enquanto tiveres essa revolta dentro de ti vai ser dificil. Eu infelizmente so consegui com ajuda de um profissional :( Espero que consigas ultrapassar e aceitar!
Um beijo

MC disse...

A vida não é justa. E está cheia de dolorosas injustiças contra as quais nada podemos. Aceitemos ou não, elas acontecem e ferem-nos a nós e aos que amamos . Tentar viver cada dia como se fosse o último e chorar sozinha cada noite poderá não ser revolta e sim a forma que encontraste de "digerir" a tua dor. Não passei pelo que passaste, mas posso vislumbrar a imensidão.

Um beijinho grande. Acredito que o tempo vai acalmar a dor dessa ferida.

Alice disse...

Essa é uma dor que me assusta profundamente.
Muita força e um xi apertado.