quarta-feira, outubro 12, 2005

*sigh*


por vezes sinto-me assim...incompleta...acontece, normalmente, quando já tenho os meus homens a dormir e vagueio por aqui e por ali sem grande coisa para fazer...e é nessas alturas que a cabeça vai buscar o que não deve e dou comigo insatisfeita...ou satisfeita mas...incompleta.

há cerca de um ano o meu corpo foi-me roubado pela mãe-natureza...não o recuperei e não me revejo nestas curvas roliças...sendo que toda a vida lutei para manter um peso aceitável, penso ser compreensível...

se a mãe-natureza me roubou o corpo, eu roubei-me alguma da minha vida...a minha vida fora de casa...aquela vida em que procurava um filme para ir ver, um amigo para ir "cafezar", um bar para ir "estoirar"...

no último ano ouvi demasiadas vezes a frase "quem te viu e quem te vê..."...doi-me apenas porque a sei verdadeira...porque me fui deixando envolver por este novo papel e esqueci que para além de mãe, sou mulher...sou gaja.

tenho saudades...e ao mesmo tempo sinto uma preguiça enorme em olhar para trás e repescar alguns momentos, algumas caras, alguns lugares...também porque sei que nunca será igual...porque tenho medo que seja demasiado diferente...

adoro estar em casa com o meu filho...vê-lo crescer, vê-lo sorrir...sei que é um privilégio tremendo e não abdicaria dele por nada...

acho que o meu medo é o medo de um dia olhar para trás e ver que grande parte da minha vida já lá não está...porque se foi esfumando e eu fui deixando...

...

20 comentários:

Márcia Lopes disse...

Oh linda, parece que estamos as duas a passear pela casa ....deviamos era estar a nanar ....
Acho que estás muito confusa, muito para baixo . E que tal tirares um dia para ti e para o maridinho ? Tenta deixar o Diogo com alguem e faz um programa que realmente gostes para te animarm ia fazer-te bem.
Tenho a certeza que não te vão faltar pretendentes para tomarem conta do teu Diogo!
Vamos lá ver se arrebitas!
Beijinho muito grande e animo!!!!
Márcia

amor disse...

Então mas o que é isto hoje?

Não podem ver uma chuvinha e ficam logo em baixo?...toca a arrebitar se faz favor.

A Márcia tem razão...tira um dia para ti e para o teu marido e vão ao cinema...jantar fora...a um concerto...vão dormir a algum lado...só os dois...vá lá...toca a arrebitar que amanhã já vai estar muito sol e o sol não gosta de ver caras tristes.

Eu acho que isso é a birra do sono...cama,pá!

Um abraço

Susana Vasconcelos disse...

Ai, ai... como eu te compreendo...
Quando me dou a pensar nessas coisas, olho para o meu filhote e passa... mas que um cinema vinha a calhar, vinha. :-)
A nossa vida muda radicalmente, mas acho que para melhor! Eles preenchem-nos! :-)
Beijinhos grandes e aproveita bem o teu Diogo e a ervilhinha que cresce dentro de ti!
Susana+Mateus

pal disse...

"give me five"!

tb te compreendo e senti-o muito exactamente nessa fase da minha bebé... as coisas melhoram não há dúvida, mas agora que tb vem outro há algo de que me arrependo mesmo quando olho para trás:

não aprovitei suficiente para descansar sozinha ou com o marido. depois da fase do mamar isso é tão possível! e tão necessário!

é complicado porque se sofre por dentro com a separação do filhote, mas regressa-se tão renovada e tonificada! e bastariam uma só noite de x em quando um bocadinho mais longe de tudo e todos...

:) beijinhos e força! (acredita que não estás sozinha nesses sentimentos tão contraditórios...)

Clara Sonhadora disse...

Esses são o tipo de pensamento que passam por todas as famílias. Há que saber aproveitar os momentos em família e fora dela ;)
Beijo

Ana disse...

Como te compreendo!
Também revejo o passado, as pessoas, as cafezadas, o não ter responsabilidades nenhumas a não ser ter que estar em casa para jantar, etc...ai meu deus...e o corpinho...longe está o tempo da barriga tonificada, das calças que assentavam na perfeição...acho que todos esses pensamentos são legitimos.
Sabes o que tens a fazer...ir saindo com o maridão, deixar o Diogo de vez em quando na avó, e daqui a um ano, apanhar ums grande tosga, porque já podes.
Desculpa, mas é o possível conselho de quem está a passar por uma fase daquelas.
Beijocas

Luna disse...

oi Inês!
As outras meninas já dizeram tudo, eu deixo-te um abraço bem apertadinho.
beijocas para a familia ervilho
Luna

Rita disse...

Acredito que esses sentiomentos venham com as "hormonas" da amternidade. Fazem parte... Eu, pelo menos, nunca mais voltei ao "antes de".
Beijo grande

Anónimo disse...

Um beijo,

de compreensão. :-)

Sandra

Costinhas disse...

Compreender até te compreendo, mas confesso que eu nunca me senti assim.

Nunca tive saudades do antes. Nunca achei que tinha perdido nada. Por isso não sei o que dizer a quem se sente assim e muito justamente.

Acho que esses sentimentos se devem ainda à mãe natureza que brincou duplamente contigo num espaço de tempo tão curto.

Segue o conselho da Márcia, vai gozando uns tempinhos a dois... a um. Regressa à tua vida de "antes" nem que seja só por umas horas. Acho que deve ajudar a arrebitar essa boa disposição... ahhh e não te esqueças... a culpa é sempre das hormonas!

:p

Beijos

Sophie disse...

Mas também é verdade que a tua vida nunca mais vai regressar ao "antes de".
Nunca mais vai ser a mesma, porque tu também já não és a mesma.

E quanto às formas roliças... só tens de esperar mais algum tempo. Olha, eu nunca estive tão bem como no segundo Verão após ter a minha filha (cerca de 1 ano depois).
Mas compreendo que isso também contribua para te pôr em baixo.

E acho que deves sair um bocadinho, se te apetecer. Aproveita antes de nascer a próxima ervilha.

Mãe Babada disse...

eu compreendo-te perfeitamente, não é fácil, eu sei. Precisas de sair de espairecer de tentar repescar o melhor do "antes" da tua vida. Deixa o dIOGO COM A AVÓ E VAI COM O MARIDO OU MESMO SOZINHA, PASSEAR, RESPIRAR...Faz bem, e vais ver q te vai ajudar a viver em pleno a tua vida de Mãe e Mulher. Toca a arrebitar tudo se vai compor...
bjos

mulher elástica disse...

Meu Deus, como te entendo... Também ando a passar por uma fase idêntica... claro q eu já vou no segundo incrível por isso, barriguita nunca mais foi embora, mas concordo com o resto dos post. Vai namorar e sobretudo espairecer porque acima de mães, esposas somos "gajas" e temos de gostar de o ser.

Xana disse...

Minha querida, acho esses sentimentos super normais.

Afinal tu tinhas uma vida antes de ser mãe, certo? E provavelmente até gostavas dela, portanto não há como não sentir saudades.

Eu confesso que até me custa a entender é o outro lado. Aquelas(es) que não sentem falta de nada.

Acredita que com o tempo as coisas vão ficando mais fáceis e cabe-te a ti ir gerindo tudo com inteligência. A pensar também em ti e nele.

O pediatra da I. disse-me uma coisa que me marcou muito: que na nossa família todos temos a mesma importância, e que não devemos viver em função dos filhos.

Para ti deve ser mais difícil, porque numa fase em que estarias a ganhar mais espaço, surge outro bebé. Mas não é o fim do mundo. É só uma questão de tempo (e de vontade).

Beijinho!

Raquel disse...

Inês...como tu mesma disseste temos em comum o facto de estarmos desempregadas e em casa com os nossos filhos. Tenho passado por estes mesmos sentimentos muitas vezes nestes 10 meses.
Há momentos em que achamos que deixámos de ser nós...mas depois algo nos traz para cima.
No teu caso vai demorar mais tempo porque vem aí mais um baby a caminho.
Mas pensa que vais ficar já "despachada" e depois vais viver a tua vida como ser independente de forma mais desafogada e ainda cheia de genica!!
Isto é apenas uma fase de dádiva que nós passamos em prol dos nossod filhos...
Mas não deixes de tirar um dia para ir ao cinema, ou a um barzinho, ou jantar fora.
Tu precisas e o teu gajo tb concerteza!
Eu faço isso 1 vês por mês. E sabe muito bem.
Somos mães mas também somos gente.
Se precisares de falar tou aki rachael_ms@hotmail.com

Anónimo disse...

E as babysitters servem para quê, Senhora Dona Preguiçosa?!!!
Ai, ai, ai...

Joquinhas
T+++

Ana Parra disse...

ELas já disseram tudo.
Solução:
Aproveitares algum tempo só com o maridão.
Um beijinho grande

a mãe dos miúdos disse...

bom, eu sei que depois disto já houve novo post mas não podia deixar de comentar este. Às vezes penso e sinto exactamente o mesmo e sei que não é uma actividade a dois que me vai resolver a questão. Às vezes passa só por acordar mais bem disposta no dia seguinte. Nessas alturas esforço-me por pensar que tudo na vida é um processo evolutivo, que a uma fase se segue sempre outra e que, independentemente da altura em que esta chegasse, existiriam sempre coisas que ficaram por fazer ou viver. Como o tempo não volta atrás, não se repete nem fica parado à nossa espera (e faz ele muito bem) basta aproveitar as novas oportunidades de experiências que cada fase ttraz consigo.

Sim, nem sempre pensar isto e respirar fundo me ajudam mas, que se lixe, também temos direito às nossas fases down. Então e depois? Não são elas que nos permitem acabar por ver aquilo que antes não viamos? Muitas vezes, à tarde, tenho saudades de quando saía à noite apenas porque, de repente, me apetecia. À noite nem me lembro disso. Ando demasiado ocupada a viver-me.

De resto, e já estou farta de to dizer, moramos perto uma da outra. Quando quiseres e precisares, apita :)

beijos grandes
Sónia

Rui disse...

Incompletos como somos nada nos satisfaz.
Gostei muito de te ler.

AnaBond disse...

sabes que mais?
é exactamente como me sinto... entendo-te muito bem...

beijo grande.