terça-feira, janeiro 17, 2006

2 filhos...


porque muitas vezes não consigo colocar em palavras aquilo que sinto. porque há quem o faça muito melhor do que eu. espero que não te importes, xana...

"Ainda me custa e acho que vai custar sempre, o que lhe tirei, o que ela perdeu. Às vezes acho que ela merecia mais tempo só para ela."

(O dia a dia)

é isto que mais me custa...o saber que mesmo agora já não dou tudo o que tenho ao diogo...porque me doem as costas, porque não me consigo sentar com ele no chão a brincar, porque cada vez se torna mais difícil embalá-lo quando precisa...

penso no que aí vem...no partilhar de mimos, de atenções, de tudo...e penso que ele é novo demais para isso...que ela vai ser nova demais para isso...

34 comentários:

pal disse...

estava a comentar, mas vou mandar antes por mail.

beijinhos

Alda disse...

Inês,
eu não concordo com a teoria de que eles perdem. Porque acredito que ganham muito mais do que aquilo que perdem. E, na verdade, tu vais ver que - sobretudo quando passarem os primeiros tempos da 'nova' bebé - tu VAIS conseguir dar o mesmo amor e a mesma atenção aos dois. Além de que há sempre oportunidade de se terem momentos especiais com cada um deles.

Não tenhas receio... agora tens essas limitações todas (que eu também tenho) porque já estamos num estado de gravidez avançado que não nos deixa fazer TUDO. Mas daqui a uns tempos a energia vai estar de novo em cima, permitindo-nos fazer tudo o que sempre fizemos. Tua a duplicar, eu a quadruplicar! :)

Sophie disse...

Não sei bem o que dizer.

Acho natural sentir estas coisas. Faz parte do processo. Eu sentiria o mesmo.
Mas não se pode ir por aí. Tu vais amar os dois, ter tempo para os dois, dar-te inteira aos dois, ao mesmo tempo ou em separado.
E sei que vai tudo correr bem, porque tu és uma valente e uma MUITO BOA mãe.

(olha, e tivesses tido gémeos?)

Zuza disse...

Qdo vires os dois a brincar... qdo vires um a rir só de (re)ver o outro... qdo um se recusar a ir seja a onde for sem levar o outro atrás... vais ver q o saldo é tão, mas tão positivo!!! Depois de 4 meses de algum arrependimento e uma certa "aflição" cá em casa todos voltamos a sorrir MUITO outra vez!!! E a duplicar!!!

Princesa Julinha disse...

Tudo se resolve..não te preocupes. De qualquer modo, de certeza que vão brincar muito os dois e vais ter ajuda.

Beijos

Rita disse...

Tu mais que muitas pessoas sabes que o que se ganha por ter irmãos é muito, muito mais que o que se perde! Além disso, infelizmente, nunca lhes damos toda a atenção que queremos se não é por causa do mano, é por causa do trabalho ou de outra coisa qualquer. Acho que o que interessa é arranjarmos maneira de lhes dar o suficiente e tenho a certeza que o vais conseguir fazer!! Jocas

Francisca disse...

Querida (hoje dou em chamar querida a toda a gente!): faço a mesma pergunta que a Sophie, com conhecimento de causa. E se tivesses gémeos?

(claro que é normalíssimo sentires-te assim, mas vai correr tudo bem)

motivoparasorrir disse...

Fiquei emocionada com o que você disse. Estes dias eu estava pensando nisto também, que quando vêm duas crianças com idades próximas, a primeira sempre sai perdendo, tadinha, pois o caçula precisa mais de atenção, e como faze-lo se o primeiro é tão pequeninho ainda. Mas Deus vai te ajudar e vc vai dar conta direitinho do recado.
:)

Filipa disse...

Também penso um pouco assim, mas então, os gémeos? Não será pior por esse ponto de vista?
Vais ver que eles vão ganhar noutras coisas, certamente vão ser muito unidos e amigos!!!

dia-a-dia disse...

Olha, Inês, assim de repente, ocorrem-me poucas infelicidades maiores que possam ocorrer a uma criança do que a de não ter irmãos... É triste, não é? Não penses só no que lhe tiras (que obviamente tiras!), pensa no que lhe dás, com uma irmã.

;)

Beijinho

P.S. Leio-te sempre. O tempo para comentários é que é pouco. Não leves a mal, não? ;)

Jasmim disse...

Só me ocorre dizer... Vai correr tudo bem!

Mas compreendo que esses sentimentos te apareçam. Mas acho que será mais por ti do que por eles... Vou repetir: Vai correr tudo bem!!!

Anónimo disse...

Olá,
Sigo o teu blog há muito porque gosto muito, nem sei bem explicar porquê.Tenho duas filhas com 15 meses de diferença...(a mais velha ainda não andava) compreendo-te muito, muito bem. O meu maior receio era esse, que não desse o suficiente a cada uma. Mas foi este receio que me deu forças infinitas para estar com elas. Foi este sentimento de culpa um bocado tolo que fez com que a minha relação com elas se tornasse tão intensa. Neste momento têm 3 e 2 anos e é muito, muito bom. Não tenho duvidas que foram os melhorese mais dificeis tempos da minha vida e agora adoro passear com elas e sentir que já tudo passou. Força e pensa que sentires isso é saudável e humano. Beijinhos

Lúcia disse...

Amor gera amor. Com muito amor, muita paciência ( e canaço pois claro ) tudo vai correr bem e daqui a pouco estarás a dizer que consegues lidar muito bem com a situação.
Beijinhos

... disse...

Gostei do comentário anterior ao meu. Acho que já resta pouco para dizer, principalmente com palavras de esperança e encorajamento deixadas por pessoas que já viveram a aventura que em breve terás. Reforço só uma ideia: é mais o que ganham, do que o que perdem.

bjs

PS: mas compreendo-te. se tivesse no teu lugar tb estava com medo. acho que é normal.

... disse...

ops...afinal não era o comentário anterior ao meu, era o outro, de um anónimo. mas acho que percebeste :S

Anónimo disse...

A capacidade para amar quadriplica de cada vez que se tem um filho. E essa capacidade não é dirigida apenas para o que vem; mas para o que está. Não há nada com maior capacidade de volume que o coração de uma mãe. Parece mais difícil do que o é e na realidade acabará por ser muito mais fácil do que seria apenas com um. Porque a paciência para conversar com cada um deles será muito maior. E a ligação que dois irmãos criam com essa diferença de idade é impagável!!!

Anónimo disse...

Creio que sentiriam mais se tivessem muitos anos de diferença. Desde cedo aprenderão a partilhar de uma forma mais sáudavel. Não te preocupes: acredita que futuramente a proximidade de idades vai uni-los muito mais.
Felicidades,

Sílvia (mamã da Leonor- 5 mesitos)

Carla Iglesias disse...

Olá Inês,
Eu também me sinto assim por vezes..como puderei dar a dois se me sinto por vezes, tão cansada para dar a um?
Acho que temos amor para dar aos dois, mas neste momento ,'o nosso estado de graça' deixa-nos de rastos mas sabemos que é só uma fase passageira.
Sei que quando tivermos o nosso bebé, vamos sentir-nos muito melhores e com mais força e energia para os dois...

Beijinhos
Carla

Isabel Pinheiro disse...

Olá Inês,

A atenção pode ter que ser repartida pelos dois, mas o teu pequeno vai ganhar muito com a experiência de ter uma irmã, e tu vais conseguir amá-los da mesma forma, e partilhar tudo entre eles.

Gostava de poder já partir para o 2º também, o pedro tem agora 5 meses... mas a vida nao me permite!!!

jinhos

isa e pedrocas

flores disse...

Inês,

sou filha única e por isso mm ñ concebo a ideia de ficar só com um filho, pq sei o q é ñ ter alguém suficientemente próximo com quem dividir as pequenas/gdes coisas do dia-a-dia.

E o amor de mãe multiplica-se infinitamente.

Vais ver/sentir qdo a Sara estiver nos teus braços.

Um beijinho,

Sandra

lila disse...

Essa foi a minha primeira angústia, depois do teste positivo...E continua a ser a maior!
Por outro lado, acho que a minha filha vai ganhar tanto. Ter um irmão com quem crescer; partilhar; brincar; criar cumplicidades únicas,...
Sabê-lo enche-me de felicidade!

Beijinhos, ânimo e muita força!!!

LP disse...

Embora um pouco "chata" com as descrições do meu cansaço desde que o 2º nasceu, não tenho dúvidas que hoje o Henrique é muito mais feliz porque tem um irmão. E é isso mesmo que nós queremos não é? Que eles sejam sempre mais felizes.

Beijinhos grandes

Karla disse...

Inês: a dia-a-dia tem toda a razão. Eu sou filha única, não porque os meus pais tenham tido esses receios mas porque tiveram outros. Seja como for, eu sei o que a Inês vai perder sem irmãos. Tudo o que ela possa perder por tê-los é mal menor :)

Maria Zezinha disse...

Minha querida, se houve algo que a vida me ensinou foi que não se deve sofrer por antecipação!
Vais ver que tudo se torna tão natural que passado pouco tempo, vais estranhar teres pensado nisso. Quando o Manel nasceu foi recebido com tanta naturalidade que tudo voltou ao normal em pouco tempo... só te posso dizer, como uma das tuas amigas, no coração de uma mãe cabe sempre mais um... Beijos gigantes para todos.

Carina disse...

Então e se fossem gémeos? Não seria semelhante? Tudo se resolve Inês! E com tanta proximidade de idade, eles vão-se dar super bem, vais ver! E tu pede ajuda ao Pai Vagem! Se quiseres mais um tempinho para ti, entregas os filhotes ao Pai Vagem e vai distrair-te, também faz falta!

Beijinho

mimi disse...

Eu sinto o mesmo apesar de ainda só ter um, sinto que ainda não estou preparada para dividir o meu amor. Sei que não é dividir, que ele aumenta na proporção das necessidades, mas ainda assim é algo que me custa.

Sandra Santos disse...

Tenho a certeza que conseguirás ultrapassar esse sentimento e sentires-te ainda mais Mãe por isso!

Beijinho,
Sandra

nuvem cor de rosa disse...

Não penses assim amiga...
Ó pra mim prestes a ser mamã de gémeos!!! Achas que penso k não vou conseguir dedicar-me a cada um deles como se fossem um só? Claro que não!
O amor, a atenção, os sorrisos, os miminhos, os olhares, o tempo... tudo duplica e nenhum fica a perder. Tenho a certeza absoluta.
A única coisa k o Diogo pode estar a perder agora (apenas enqto tás grávida) é a tua maior disponibilidade física para brincadeiras. Mais nada...
Bjnhos grandes

Susy disse...

Querida!!
Um beijo grande, do tamanho do mundo para ti e para o pimpolhinho e claro para a barriguinha!!!!

Susy

ana disse...

Então pensa assim:
O diogo não vai ter só o teu amor, vai ter também o amor da mana. E amor de irmãos é precioso e insubstituível.
(quanto à cliniped, não é a Beatriz que vai lá, porque a pediatra dela é minha familiar, mas é o Rodrigo. Filho da minha amiga Paula que nasceu pouco antes dela. Já lá fui várias vezes com ele... acho a clinica excelente e qq dia encontramo-nos lá).
jinho
(o mundo é mesmo pequeno)

Costinhas disse...

Não fui ler tudo o que disseram por isso posso cair na repetição de alguém, mas sinceramente, se bem que seja natural pensarmos assim por alguns instantes, não acho que seja assim tão mau!

Se é verdade que não tens toda a disponibilidade, se é verdade que se pudesses darias muita mais, também é verdade que nenhum deles tem de perder qualquer coisa!

Que nenhum deles vai receber menos amor, mimo ou seja lá o que for por ter um mano tão perto. Depende apenas de vocês eu acho.

Imagina que tinhas um daqueles trabalhos de 9 horas e que gastavas 3 horas em transportes. Que tempo tinhas tu para o Diogo?

Eu não acho que tenhas de dar tempo em quantidade! Eles precisam é de tempo com qualidade!

Se em vez de uma hora a brincar só podes estar 10 minutos, faz com que esses minutos valham a pena!

Desculpa se não fiz sentido... desculpa se não te percebi.

Beijos

Raquel disse...

Os ganhos vão ser maiores do q as perdas.
Acredita!
Eu tenho uma mana com 15 meses de diferença de mim...e foi o melhor da minha infância!
Tinha-a a ela...e entretíamo-nos muito mais tempo.
Ele vai-te agradecer!
Custa os primeiros meses em que ela será muito pequenina...mas depois vais ver como tudo vai correr como em carris!
Beijocas

scaf disse...

Um beijo grande de uma visita pouco faladora :)

Anónimo disse...

Olá Inês, compreendo-te perfeitamente, quandom engravidei da 2ª vez pensei se amaria tanto outro filho como amava a Inês, um amor tão grande que chegava a doer o coração, mas quando a Joana nasceu tudo mudou, amoa-a tanto e de igual modo, e quando a Inês me foi ver à maternidade, chorei, por achar que era tão pequena (2 anos e 5 meses), mas a alegria agora também é a dobrar e penso que quanto mais velhos pior, porque habituam-se a ter tudo só para eles e vai-lhes custar muito mais.
Vais ver que tudo vai correr bem.