quinta-feira, janeiro 19, 2006

"90% dos pais pôem crianças em perigo nas viagens de carro"

Data: 19-01-2006
Nove em cada dez crianças viajam sem segurança nas cadeirinhas dos automóveis, sendo os bebés com menos de 18 meses os casos mais problemáticos, segundo um estudo da Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI).

O trabalho efectuado nas auto-estradas portuguesas pela APSI, a que a Agência Lusa teve hoje acesso, revela que os pais estão cada vez mais sensibilizados para a importância do uso da cadeirinha, mas são poucos os que o fazem de forma correcta.

"Há um aumento da taxa de utilização, mas em 90 por cento dos casos foram detectados erros no seu uso. Sendo que em 50 por cento das situações se verificaram erros graves ou muito graves", contou à Lusa a presidente da APSI, Helena Cardoso Menezes.

Os casos mais graves referem-se "aos bebés que começam a viajar sentados para a frente precocemente, o que numa situação de acidente, mesmo a baixa velocidade, pode provocar graves lesões cervicais", alertou a presidente.

Apesar das lojas e dos fabricantes venderem modelos que permitem transportar as crianças viradas para a frente logo que atinjam um ano de idade ou tenham nove quilos de peso, aquela especialista defende que "até aos 18 meses, no mínimo", os bebés devem viajar sempre de costas.

"Sentar as crianças com mais de nove quilos em cadeiras viradas para a frente é um crime", afirmou, recordando que "nos países nórdicos, onde a taxa de mortalidade rodoviária é baixíssima, as crianças viajam de costas até aos três, quatro anos".

A explicação é simples: nos primeiros meses de vida, a cabeça do bebé representa 25 por cento do peso do corpo e o pescoço ainda é muito frágil, "o que significa que um acidente ocorrido mesmo a baixa velocidade pode provocar danos muito graves", sublinhou Helena Menezes.

A taxa de mortalidade infantil, que tem vindo a diminuir nos últimos anos, apresenta o seu maior pico nas crianças até aos dois anos de idade: "sessenta por cento dos casos referem-se a bebés com menos de dois anos".

Considerado igualmente um "erro muito perigoso", a segunda principal falha detectada pelo estudo da APSI é o das "folgas excessivas" nos cintos de segurança das próprias cadeirinhas, "que permitem que as crianças sejam projectadas numa situação de acidente", alertou Helena Menezes.

A colocação do cinto de segurança por baixo do braço é o terceiro erro muito grave: "a criança corre o risco de fracturar o baço ou o fígado. Num caso de acidente, o cinto colocado numa zona mole do corpo pode provocar o esmagamento dos órgãos internos".

Segundo Helena Menezes, deixar as crianças viajar desta forma pode ainda provocar graves danos à coluna lombar, numa situação de acidente.

Além da proibição de viajar no banco da frente antes dos 12 anos de idade, as associações alertam para a importância das cadeirinhas serem sempre instaladas no banco de trás, sendo a excepção os carros de dois lugares sem sistema de "air-bag".

Apesar de ser visível o aumento do número de cadeiras instaladas nos automóveis, a APSI lamenta que continuem a existir muitas falhas, que vão desde a sua má colocação até à permissão das crianças viajarem sentadas ou deitadas mesmo ao lado das obrigatórias cadeirinhas.

Por isso, durante os dois próximos fins-de-semana a APSI vai lançar uma campanha para tentar reduzir a sinistralidade rodoviária num país onde morrem cerca de 18 crianças por dia, segundo os últimos dados de 2003.

Equipas da APSI estarão nos supermercados Jumbo e Pão de Açúcar para esclarecer gratuitamente todas as dúvidas sobre a segurança das crianças no carro e serão instalados centros de verificação de segurança das cadeirinhas nas lojas da Maia, Santo Tirso, Faro, Vila Nova de Famalicão, Castelo Branco, Cascais, Alverca, Alfragide e Setúbal.

Os técnicos da APSI vão verificar gratuitamente a forma como estão instaladas as cadeirinhas, "de modo a confirmar que as crianças são transportadas com o melhor nível de segurança possível", explica a associação em comunicado.

Soluções para as famílias com três filhos ou para carros com apenas três portas são algumas das situações que os técnicos da APSI estarão preparados para resolver, podendo ainda orientar para o melhor modelo, tendo em conta a idade da criança e a morfologia dos bancos do carro.

Questionada sobre quais as melhores cadeiras existentes no mercado, Helena Menezes defende que caro não é sinónimo de seguro, sendo que "as cadeirinhas excessivamente baratas são de desconfiar".

Para quem não possa estar presente nas sessões, a responsável recomenda uma visita ao "site" da associação na Internet (http://www.apsi.org.pt/ ou um telefonema para a APSI, que às quartas- feiras aconselha gratuitamente toda a gente.

A APSI acredita que o uso da cadeirinha está directamente relacionado com a redução de 40 por cento nos últimos anos do número de crianças com menos de nove anos vitimadas em acidentes rodoviários.

Fonte: Agência LUSA


------------------------------------------------------------

nós vamos agora comprar a cadeirinha virada para a frente...alguém sabe se existem cadeiras, para peso superior a 9 quilos, que se coloquem viradas para trás?!

19 comentários:

Karla disse...

Eu não comprei, mas tenho quase a certeza de que existem. Já te digo qualquer coisa.

Lipa disse...

A Iseos da Bebeconfort dá para andar virada para trás e para a frente (foi a que compramos). Ainda pensei em virá-la para trás mas como temos um carro de 3 portas o acesso à cadeira é super dificil (nem estou a ver como a conseguiria por na cadeira se andar no banco de trás!)e para andar no banco da frente é um bocado grande e tira visibilidade, por isso instalamos para a frente mas a ideia é andar com ela inclinada por agora e não toda sentada para se houver batida não ser tão perigoso.
Fico sempre a pensar que a deveria colocar de costas mas não é mesmo nada prático...
Só conheço essa da Bebeconfort mas penso que se procurares deve haver mais cadeiras destas que são do grupo 0/1
beijinhos

me disse...

Existem sim, Ines.
A q a M usa (Bebeconfort) tanto da para virada para tras, como para a frente.

Tem tudo explicadinho no manul q vem c a cadeira.

Beijokas

Licas disse...

Eu estava alertada para esse facto, quer pelo pediatra da minha filha quer pela minha irmã (médica), e de cada vez que vejo essa discussão num post refiro sempre isso. Mas a maior parte das pessoas continua a ignorar este aspecto.
Por tudo isto, apesar de já ter a TT da bebeconfort (cuidado, esta apenas dá voltada para a frente), a Inês continua sempre a efectuar os trajectos mais longos na creatis (como esta coque dá até aos 13kg, vai aguentar perfeitamente, ou até mais, do que os 18 meses da Inês.
1 bjx, licas

Sophie disse...

Sou sincera, assim que pude sentei a M. virada para a frente. Era um martírio andar sozinha com ela sem a ver e ela sem me ver a mim...
Comprei a Iseos da Bebe Confort (não é barata) que dá para andar das duas formas, mas usei-a sempre virada para a frente.

... disse...

Olá,

Nós temos a Iseos da BBconfort. Também comprámos porque dava para usar das duas maneiras, mas confesso que usámos sempre virada para a estrada (pelas mesmas razões que a Sophie apontou). Dá para inclinar bastante e o bebé fica bem preso. É tb um bocadito para o carote, mas penso que de preço idêntico às suas congéneres da Chicco e da Maxi Cosi. Por outro lado, estas duas últimas tiveram boa pontuação na Revista Pró-Teste, assim como a da Rommer. Quanto a esta última, uma amiga minha comprou-a e é bastante pequena, rija e quase não dá para deitá-la.

E pronto, espero ter ajudado.

Bjs

mocas

barbarayu disse...

OLá InÊs!

Em primeiro lugar quero agradecer-te o facto de teres publicitado o artigo aqui no teu blog. Obrigada!

Em relação à cadeira, eu comprei para o Vasco a Racing da Jané (podes vê-la em www.jane.es). É bem mais barata que a Iseos e eu penso que é melhor em termos de estrutura e no sistema de cintos de segurança. Para além disso a Jané tem um centro de testes inserido na fábrica, o que faz com que eles testem repetidamente as cadeirinhas.

Um beijinho!

disse...

Olá!

A Minha tambem dá para os dois lados... De serteza que há muitas assim:)

bjs
Zelia

Costinhas disse...

Pois a Iséos dá para fazer isso. Mas tem atenção ao cinto do carro... o meu é demasiado curto e não dá para por esta cadeira virada para trás...

convém experimentares antes de comprares.

Beijos

Carla Iglesias disse...

Pois é,
Ainda a semana passada vi o que pensava que já não existia.
Uma mulher sentada ao lado do condutor, num corsa de dois lugares, com uma criança de 1 aninho sentada ao colo dela, isto a passar a ponte 25 de Abril...
Mas estamos em que século? As pessoas facilitam porque pensam que é só até ali, ás vezes ,percursos pequenos nem cinto quanto mais cadeira, levam os miudos á solta no banco de trás e acidentes acontecem, quer seja num percurso longo ou curto..
Que iresponsabilidade...

coixitas disse...

A partir de uma certa idade é dificil controlar a segurança deles...faz hoje uma semana tive um acidente com uma certa gravidade e o meu filho (3anos) fez um corte na testa porque como eu tenho os cintos da cadeira justos ao corpo dele ele não gosta e mal eu arranco ele solta os braços e vai só preso pelas pernas.

Lara disse...

Quase todas as do Grupo 1 dão para virar de costas para a estrada. A Pré Natal tem uma que custa 105€. Mas, claro, se puder comro a Chicco Key1. A Bebéconfort comigo não se safa a vender cadeiras de automóvel... são caríssimas!
Ai, ai, tenho que ir comprar a cadeira nova para a Maria! Já não cabe no ovo!

xilileca disse...

A Iséos da bebeconfort, mas já vi que não digo nenhuma novidade... :P

Raquel disse...

Olha querida, eu comprei uma cadeira no Continente, que não é de nenhuma dessas marcas conhecidas e que dá para pôr nas duas posições e me custou a módica quantia de 55 euros.
É muito segura e cumpre todas as normas de segurança da União Europeia.
Até agora não tive problemas.
beijocas

Ana Rute Cavaco disse...

a minha é Romer e dá para usar para trás mas há aqui um pormenor que ninguém referiu. se o bebé/criança está comprido, na posição virado de costas para a estrada fica com as pernas encolhidas e em caso de travagem pode encolher bruscamente e provocar lesões...

por isso usei-a sempre de frente para a estrada mas na posição semi-deitada que ainda hoje uso.

AnaBond disse...

Pois é linda, mas no artigo nada se refere ao que a Ana Rute referiu...
É que além do cinto ser muito curto na maioria dos carros (eu tenho um clio e mesmo o coque, que é pequeno não dá completamente), ninguém se refere que quando eles são um pouco compridos ficam com as pernas encolhidas.

Sinceramente não estava a ver o meu filho a ir de costas, apesar dele ter 13 quilos... por isso, prefiro pensar que é bem mais fácil haver uma travagem brusca e haver lesões nas pernas que haver um acidente grave ao ponto da cadeirinha virada para a frente ter problemas.
(e já travei uma vez a fundo com ele na cadeira virada para a frente)

Aguentei o meu filho virado para trás o máximo que pude... mas muito antes dos 9 quilos (não consigo precisar) ele começou a não querer andar de carro à conta de andar com as pernas encolhidas. Tive de comprar a cadeira virada para a frente.

Diabinha e Biscoitinha disse...

Existe sim Inês da Chicco.

Carla & Repolha disse...

Primeiro de tudo OBRIGADA por teres publicado o artigo. Só uma adenda que eu ainda acho mais incrível: andar com os miúdos sentados nas cadeiras e sem cintos colocados (quanto à questão de eles próprios as tirarem, é bom que eles também saibam quem manda e antes eles a chorarem com uma belas palmadas se for caso disso do que nós...); andar com os miúdos aos saltos pelo carro fora (já cheguei a ver mesmo um miúdo dos seus três/quatro anitos em cima da chapeleira a brincar e o pai a "abrir"...); andar com os garotos ao colo, etc, etc. É um verdadeiro crime o que se assiste diariamente... Mas a verdade é que também eu estava a cometer um crime até hoje. Uso uma cadeira da chicco (já tem uns anos mas é óptima; cumpre as regras; dá para estar virada para trás ou para a frente e tem aquela vantagem de ter a posição deitada ou sentada) virada para a frente desde que a cachopa ultrapassou os 10kg e os 70cm. Ainda bem que chamaste a atenção para isto: vou tratar de ir ao Jumbo este fim-de-semana pôr a cadeira em condições e já agora dar graças por não ter acontecido nada. Claro que vamos ter choradeira as primeiras semanas - mas antes ela...
Beijinhos e mais uma vez obrigada.
PS ao post inicial: Uma boquinha hiper-sensual...

Susana Vasconcelos disse...

Oi Inês!
Gostei muito do artigo. Mas a verdade é que já nadamos com o Mateus virado prá frente... Ele já não se sentia bem na babycoq para além de ficar com as pernas encolhidas.
Andámos a ver várias e com o Mateus! Para ele poder experimentar e ver onde realmente achavamos que ele se sentia mais confortável. Experimentámos da Chicco, da Bebe Confort, Romer... Isto, porque fiquei um bocado desiludida com o ovo Creatis da Bebeconfort, acho q ele ía sempre muito desconfortável... Onde achámos que ele ficava melhor era na da Maxi Cosi e foi essa que comprámos. Não é barata, mas é mais barata que a Iseos da BebeConfort. Comprámos a Maxi Cosi Priori XP (http://www.maxi-cosi.nl/) e estamso muito satisfeitos. Não dá para andar virada para trás mas tem várias posições e para já ele anda na posição mais deitada. Parece-me ser uma cadeira muito segura e ele adora viajar nela.
Beijinhos grandes,
Susana