quinta-feira, janeiro 12, 2006

emancipação rodoviária..

tirei a carta há cerca de 4 anos. ainda dei umas voltinhas (poucas mas que englobaram o marquês, a rotunda do relógio e a ponte...!) mas como me mudei para aqui 2 meses depois e não conhecia nada da zona, deixei-me disso e passei a ser conduzida. a partir daí a minha condução passou a fazer-se apenas entre a minha casa e os barcos (distância mísera que, a pé, se faz em cerca de 15 minutos...). quando mudámos de carro (fez em novembro 1 ano) eu deixei totalmente de conduzir.

a minha maior batalha interior sempre foi lutar contra este medo/insegurança que se apoderou de mim e que me fez depender para quase tudo do pai-vagem.

em dezembro deu-me a coragem (e a irritação) e fui fazer 5 aulinhas de treino.

hoje já pego no carro (!!), já dou as minhas voltas aqui pelo seixal, já me atrevi a ir até à clínica onde o diogo é seguido (na cova da piedade: tanta rotunda, meu deus!!) e vou às compras sózinha com o puto.

sinto-me contente, gosto de conduzir e gosto de sentir que aos poucos estou a perder o medo.

próximo passo: lisboa!

ps - tenho 1 mês e qualquer coisa para dar o próximo passo...vamos a ver se chega!

21 comentários:

Diabinha e Biscoitinha disse...

É preciso é quereres.
Força que um mês passa a correr.

Monica disse...

Desculpa lá mas és corajosa!!
Marquês de Pombal??? em 7 anos de carta (e sinto-me super à vontade a conduzir e adoro) só lá passei 1 vez! diabo de rotunda, FOGO!!!
Força!

Beijocas
Monica

motivoparasorrir disse...

Eu te entendo eu tenho carteira de motorista há 7 ano de carro e moto, mas depois de tirei a carteira, nunca mais peguei em um carro, só moto que é a que me conduz, assim mesmo sem embrenhagem, mas que carro dá um medão a isto sim dá. Mas para resolver isto, só mesmo a prática, então, dá-lhe passeio.
:)

Rute disse...

Olá Inês...

Eu tirei a carta muito tarde, tenho 28 anos e tenho-a a apenas 2... e foi exactamente o facto de estar farta de depender do marido para tudo que me fez tomar a grande decisão...

No dia em que passei no exame de condução levei logo o meu carro até ao trabalho que era no montijo... a 32 Km da minha casa.

É tudo uma questão de começarmos... agora não me vejo sem carta e carro...

Beijocas grandes,
Rute e André

Raquel disse...

Ao menos tiraste a carta... :(
Eu tomei a decisão de a tirar este ano...porque o meu filho precisa que eu tenha mobilidade quando o meu marido não está...e porque eu preciso dessa independência.
Deus queira q seja tão firme a realizar os meus intentos como tu foste.
Desejo-te boa sorte para a próxima etapa!
Beijocas

Costinhas disse...

hehehehehe

Mas se é pelo motivo que penso que seja... toca a perder o medo e vir para Lisboa!!!

:))

Cláudia disse...

Somos duas, minha querida. Mas nem com aulas de «reciclagem», como lhe chamo, fui lá... estou até hoje para ver se ganho coragem... :S
Beijinhos mimados.

Ana Rute Cavaco disse...

:) força!

Filipa disse...

Hoje em dia conduzir é indispensável!!!!
Eu também não me aventuro muito a ir para o Porto, mas já fui... 2 vezes!!!

Jasmim disse...

Força minha linda. Eu acho indispensável, e no teu cado com o Diogo ainda mais. Lisboa não é nenhum bicho de sete cabças. Foi isso que interiorizei e nunca tive medo e olha que eu tirei a carta na aldeola onde só há uma faixa em cada sentido e não há semáforos!!!

Vá, sem medos, vais ver que se condzires um pouquinho todos os dias ajuda. E vai dar voltas sem ser para sítios pré-destinados e com horas marcadas... para ganhares prática!!

Beijocas.

Carina disse...

á me vejo com o mesmo medo que tu... eh eh eh

Beijo

Karla disse...

Como te compreendo! Lisboa para mim continua a ser um bicho de sete cabeças onde não me meto. Costumo dizer que o meu carro conhece determinados caminhos: para o Colombo, para a Expo, para Cascais. Mais que isso, para mim, é out of bounds... mas não tenho mesmo coragem de o fazer. Mas com essa força de vontade vais ver que nada te impedirá! GO INÊS! :D

... disse...

Moça:

Isto é preciso é calma...tenho carta desdo os 19 e logo no dia em que a tirei...andei às voltas no Marquês! O único stress do trânsito de Lisboa são as bichas paradas e gajos/as histéricos/as a buzinar...é ignorá-los simplesmente e pronto! De resto...faço minhas as palavras da Jasmim.

Ha...mas o que eu gosto mesmo é de andar a pé...e calcorrinho o mais que posso ;)

sonia disse...

ai como te compreendo! eu tambem preciso de umas aulazinhas para voltar a conduzir em lisboa, desaprendi quando para aqui vim viver. aqui quase que ia mantando uma data de ciclistas e tendo muitos acidentes... nao e que as bicicletas nas rotundas tem prioridade e os gajos da direita tambem!

Anónimo disse...

Olá Inês!:) Muito boa iniciativa! Conduzir é daquelas coisas que eu simplesmente adoro! Não podemos esqueçer que pode surgir alguma urgência...é sempre bom não esqueçer de conduzir e treinar na estrada. Força!:)

Bjs

Catarina

Anónimo disse...

Eu cá por mim, acho q as aulas suplementares tinham sido dispensáveis, ora!...
Agora conduzir aquele carro, depois das descrições que tenho ouvido aos dois motoristas... Pretjinha, que coragem!!!
Meeeedo... :-)

ana disse...

não me digas que vais à cliniped.....????????

(eu também tive o mesmo medo no inicio, mas o meu marido praticamente obrigou-me e hoje agradeço a ele o que fez por mim....
...agora se me vejo sem carro.... aiaiaia)

Patrícia M disse...

Força! Nada de medos!
É tudo uma questão de prática. E se andares devagar, o perigo diminui bastante. Se os outros businarem, manda-os a uma certa parte! :o)

Um conselho, se estás com receio das idas a lisboa, experimenta primeiro ires num sábado ou domingo que é quando há muito menos transito.
Depois quando fores a uma hora de ponta, já vais, pelo menos, pela segunda vez! A mim ajudou-me muito esse "truque"

boa sorte

Susy disse...

Se fores como eu, qd não conheço o caminho ou o sítio vou quase de véspera, hihihi, assim pelo menos não me enervo...
Jinhos e Boas Voltas
Susy

Sandra Santos disse...

Como eu te percebo Inês...

Beijinhos,
Sandra

AnaBond disse...

vá vá... força nisso que todas aqui te apoiamos....

vais ver que assim que começares, é só pegar e andar...