quarta-feira, julho 23, 2008

presença.

outro dia fui com o diogo de comboio a lisboa para vermos uma peça de teatro. perguntei-lhe se sabia quem nos esperava na estação e a resposta foi a mais inesperada:
"o avô nicolau?"

na semana passada, numa das idas à praia, vimos um helicópetro e ele saltou-se de imediato com esta:
"adeus, avô nicolau!!"

...

tudo isto me emociona e me deixa numa agitação interior enorme. e eu só o queria aqui connosco.

12 comentários:

Mente Quase Perigosa disse...

Beijinhos

Graça disse...

Um grande beijinho

***********

JoaoN disse...

A tua sobrinha é mais quando passamos a ponte e vê o Cristo Rei.

eu disse...

Eu percebo-te.
Mas é bom saber que ele se lembra bem do avô. Ele que não se esqueça!!! Ajuda-o nisso.
Bjs gds e abrços apertadinhos....!

Amélia do Benjamim disse...

Dói muito não podermos amar quando precisamos tanto do amor, minha querida.
(Desejo-te muita paz no teu coração.)
Beijinho*

Costinhas disse...

daqui a uns tempos, quando leres isto, vais sorrir justamente por ele não o esquecer, por falar nele assim, naturalmente... dá mais um tempo.

beijo

Mãe Frenética disse...

Um xi-coração.

ana disse...

O que se passa contigo amiga? Tas bem ?bj no coraçao .

Luz de Estrelas disse...

Acho que essa dor nunca esmorece, pois não, Inês? Como é possível acabar com as saudades. Mas bonito, bonito é o teu filho falar muitas vezes nele. Sabes que as crianças sabem coisas que nós não sabemos. Um xi coração

Mãe das Borboletas disse...

Beijocas grandes

Anónimo disse...

Têm de deixá-lo ir... ´e bom, eu compreendo-vos mas assim não o "libertam"... pensem nisto.
Beijo.

Sara disse...

Quem sabe se ele não o vê mesmo...