sexta-feira, fevereiro 11, 2005

33 semanas e muitas dúvidas quanto à epidural...


estou muito indecisa relativamente à epidural...na semana passada tivemos aula sobre o tema e quase parece crime uma mulher colocar a hipótese de não a querer levar; de todas as questões colocadas, acho que fui a única a levantar um pouco mais o véu relativamente ao parto sem analgesia...e, apesar de termos falado nos efeitos secundários da dita cuja, quando perguntei às enfermeiras se não era preferível uma mulher aguentar (se possível) sem drogas, a resposta foi um lacónico "essa é uma decisão pessoal da mulher"...E houve logo lugar, por parte de outra grávida, para a história da mulher que não quis epidural e acabou por desestabilizar todo o bloco...

mas a preparação para o parto não é suposto ajudar, exactamente, a mulher a controlar-se o mais possível?!

enfim...o dioguinho continua imparável e a mãe-vagem resolveu tirar o dia para descansar...

20 comentários:

barbarayu disse...

Olá Inês,

Em primeiro lugar quero deixar-te um abraço muito apertado.
Relativamente à epidural, eu também tive as mesmas dúvidas que tu e cheguei, inclusivé, a decidir que não iria querer a analgesia. O facto é que chegou a hora H e foi tudo tão rápido que não houve tempo para a epidural(mesmo que eu quisesse...). Não me arrependo nada. Aliás, ou muito me engano ou também não vou querer epidural para a próxima vez ;)

Bárbara Yu
pirataseprincesas.blogsopt.com

Lara disse...

Companheira de tempo: eu tenho poucas dúvidas em relação a isso.
Tenho receio dos efeitos secundários, mas se puder garantir que levo epidural, então vou garanti-lo!...
:)

Anónimo disse...

Inês,

eu tb tinha essa dúvida e as aulas tb me ajudaram a esclarecer esse ponto. O problema está, a meu ver, na incógnoita do tempo da dilatação.

Com uma dilatação c/ a da Bárbara, ok, vamos lá sem ela.

Mas imagina q estás 10 horas a fazer dilatação. Se há coisas q nos podem ajudar a ñ sofrer tanto: então venha ela. Sim, pq c/ te terão dito o objectivo é ajudar a atenuar as dores durante a dilatação, não na expulsão. A partir dos 8 cm já nem dão reforço.

Boas decisões,

Sandra Flores + Martim (36s1d)

Anónimo disse...

Olá Inês,

O meu nome é Sandra e tive no dia 12/08/2004 uma Maria Carolina. O parto correu muito bem,e eu levei epidural. Claro que esta decisão tem tudo a ver com a consciência de cada mulher. Eu por exemplo estava na dúvida, mas na hora H quis, confesso que ainda hoje acho que tomei a decisão certa ao querer a epidural. Foram as horas da dilatação que passaram mais rápido,e fui eu que pude descansar o mais possível e ter forças para o momento da expulsão. Correu tudo bem, aliás o efeito acabou antes da expulsão e eu essas dores senti todas. Eu aconselho, mas cada pessoa sabe de si, não é?
Olha o meu parto foi no Garcia de Orta em Almada, correu tudo lindamente e o pessoal médico foi todo impecável! E de facto concordo com a Sandra Flores, à pessoal que não quer epidural e depois grita no bloco que parece sempre que vão morrer, o que de facto destabiliza pessoas, que como eu tiveram aulas pré.parto (para saber como controlar as dores, etc.). eu nunca gritei, mesmo depois de passar o efeito aguentei, controlei-me... Agora tu tiras as tuas conclusões, mas epidural tb n é nada assim d outro Mundo!
Que tudo corra bem!!
Felicidades

ni disse...

Bem, só para dizer que não levei epidural e não gritei nada... por isso essa coisa do gritar parece que não tem muito a ver com a epidural, acho que vai mais da natureza de cada uma e do parto que lhe couber. Inês, faz o que a tua consciência decidir, linda, nós estamos contigo!
:o)
Beijinhos e abraços, com ou sem epidural!
;o)

JoaoN disse...

Que história é essa de "desestabilizar o bloco"??? Parece-me que o momento em que tens o teu primeiro filho (ou outro que se siga) só a ti diz respeito... Que se f*** o resto do bloco!!! Se quiseres gritar, grita!

Desculpem intrometer-me, mas é só a minha opinião de pai e companheiro de aventuras de uma mulher anti-epidurais... :-)

Carla disse...

Inês querida, essa decisão é mais do que tua, mas acho que já a tomaste :) No meu caso, se um dia engravidar, acho que vou querer epidural, custa-me muito pensar nas dores, mas não sei que opinião poderei ter na altura. Faz o que a tua consciência te ditar e olha que já estou como o JoãoN: que se lixe! É o teu momento, único na vida, se tiveres dores e te apetecer gritar não podes porque desestabilizas o bloco? Há quem desestabilize em tantas outras situações, temos todos que ser tolerantes. Espero que tenhas tido um dia muito descansado. Gostei deste teu sistema de comentários :) Beijo enorme :)

Diabinha e Biscoitinha disse...

Olha Inês,eu sempre disse que cesariana e epidural eram as últimas coisas que eu desejava no parto e foram as que tive. Actualmente digo-te que repetia tudo de novo. Penso que existe um grande medo gerado em torno da epidural que se for administrada por um bom profissional não terá razão de ser. O conselho da enfermeira do curso de preparação para o parto foi: "não rejeitem logo a epidural digam antes que vão aguardar mais um pouco pois depois podem querer e já não lhas darem"

Mamã MIni disse...

Ola Inês.
Eu acho que uma mulher deve aguentar o máximo que puder as dores do parto. Li num livro que tenho que a maioria das mulheres que levam a epidural mais tarde se arrepende porque não tiveram o controlo total no parto.
Acho muito mais importante controlar tudo e sentir o nosso bebe a sair de dentro de nos.
Quando for eu, espero que seja assim.
Mil beijos:)

Someone Here disse...

Eu não vou dar opinião... Ou melhor a minha única é opinião é que a tua opinião é que conta (passo a redundância). Não tenho filhos e ainda não penso nisso! Mas acho que a opção da mãe é que devia contar em tudo, se quer parto normal, se quer cesariana ou se quer epidural. Infelizmente as coisas não se passam a assim! Beijocas.

Cláudia disse...

Querida Inês,
das duas vezes pensei que ia levar epidural e acabei por nunca a levar. No primeiro, não havia médico anestesista para a dar, e tive que fazer o trabalho a frio. No segundo, quando pedi (mas nem sei bem porquê, porque até estava suportável) já não ia a tempo, porque ele já estava a nascer.
Depende muito de nós, de como estiver a correr. Mas agora que passei por 2 partos sem epidural, acho que não consigo imaginar como seria sem toda a naturalidade que teve.
O teu coração na hora (se não está já decidido) logo to dirá. Acima de tudo, cabeça fria, muita calma e muita esperança que corra tudo pelo melhor.
Beijinhos mimados.

Susana Vasconcelos disse...

Oi Inês. Eu também queria ter um parto sem epidural mas acho que vou deixar a decisão final para a altura. A terapeuta onde estou a fazer a preparação para o parto diz que o parto ideal é o parto natural, sem epidural e sem episiotomia... mas nunca sabemos como vão correr as coisas, por isso não podemos fazer muitos planos. Sem a epidural sabemos exactamente que força fazer e onde o que facilita a expulsão, mas por outro lado ela diz que há dores que são completamente insuportáveis (nomeadamente dores de costas provocadas pela pressão de um nervo) e que aí, não vale a pena sofrer...
O que eu penso em relação a isso é: "Logo se verá."
Um beiio grande para ti e para o Diogo!
Susana+Mateus

Rute disse...

Olá Inês,

Eu também prefiro ter um parto natural sem epidural e vou fazer de tudo para que assim seja, contúdo, só a altura seberei o que irá acontecer.
Eu acho que essa é uma decisão que cabe apenas à mãe e se conseguires se epidural acho que deves levar a tua vontade para a frente.

Uma beijoca muito grande,

Anónimo disse...

só gostaría de dizer ao LuisN, que todos têm direito à sua opinião, e acho que de facto as gritarias por vezes são excessivas. Claro que toda a mulher tem direito de gritar durante o parto, mas o exagero também deve ser controlado. Nenhum homem pode alguma vez imaginar o q é, por isso deve se confinar ao seu lugar de assistente e n tomar as dores de mulheres.

Ass: Catarina de Almeida

Anónimo disse...

Http://lipgloss.weblog.com.pt: Inês, minha querida, em primeiro lugar acho que nas aulas de preparação para o parto de deviam informar devidamente sobre todas as opções. Vou-te falar da minha experiência, que não vale mais do que isso. Eu sempre fui a favor da epidural, pois sou contra o sofrimento pelo sofrimento, mas após o meu parto mudei a minha opinião. Tudo depende se tens um parto natural, onde mesmo com mais horas de trabalho de parto (TP)tens dores mais suportáveis, ou parto induzido, onde com muitas ou poucas horas de TP as dores são um tadinho más. Em qualquer das situações para parir há dores. Eu tive um parto induzido, com cerca de três horas de TP. Dores horríveis, destabilizei tudo e mais algumas coisa, porque me deixaram sózinha numa sala e descontrolei-me. Sou da opinião do João, estou-me a borrifar para isso. Então nós temos dores e temos de disfarçar?? Inês gritei pela epidural, mas não chegou a acontecer. Ainda bem, pois acabei por me controlar (quando senti que a Tatiz ia nascer) e senti a minha filha nascer. Se eu tiver outro bebé, não vou querer epidural, mesmo que seja outra vez induzido. Acho que não vale a pena. Conheces as Doulas de Portugal? São senhoras que têm por missão ajudar durante a gravidez e no parto. Tenho um link no meu blog. Jinhos gigantes! Sílvia

Anónimo disse...

Http://lipgloss.weblog.com.pt: Inês, minha querida, em primeiro lugar acho que nas aulas de preparação para o parto de deviam informar devidamente sobre todas as opções. Vou-te falar da minha experiência, que não vale mais do que isso. Eu sempre fui a favor da epidural, pois sou contra o sofrimento pelo sofrimento, mas após o meu parto mudei a minha opinião. Tudo depende se tens um parto natural, onde mesmo com mais horas de trabalho de parto (TP)tens dores mais suportáveis, ou parto induzido, onde com muitas ou poucas horas de TP as dores são um tadinho más. Em qualquer das situações para parir há dores. Eu tive um parto induzido, com cerca de três horas de TP. Dores horríveis, destabilizei tudo e mais algumas coisa, porque me deixaram sózinha numa sala e descontrolei-me. Sou da opinião do João, estou-me a borrifar para isso. Então nós temos dores e temos de disfarçar?? Inês gritei pela epidural, mas não chegou a acontecer. Ainda bem, pois acabei por me controlar (quando senti que a Tatiz ia nascer) e senti a minha filha nascer. Se eu tiver outro bebé, não vou querer epidural, mesmo que seja outra vez induzido. Acho que não vale a pena. Conheces as Doulas de Portugal? São senhoras que têm por missão ajudar durante a gravidez e no parto. Tenho um link no meu blog. Jinhos gigantes! Sílvia

Anónimo disse...

Olá Inês, estou de 33 semanas nesta data e já tenho um princípe de 3 anos e meio. Do parto deste levei epidural (várias doses q n pegaram) ou seja foi como se nada tivesse levado num trabalho de parto de 13 h e meia... Mas como vês, aqui estou eu pronta para outro. Descontrolei-me bastante pq me deixarm quase na totalidade do tempo de trabalho de parto sózinha mas creio q desta vez vai ser melhor (acho q pior n consigo imaginar já q ele teve de ser retirado a fórceps, ventosa e reanimado). Se vou levar epidural?? N sei pois em princípio vou ter cesariana por causa de umas hérnias discais, mas acredito q nós mulheres conseguimos TUDO e mais alguma coisa pelos nossos "ervilhos".
Beijinho e vai tudo correr muito bem. Sandy

Anónimo disse...

That's a great story. Waiting for more. Interior decoration miami directory raymundo Japanesse sandals Valium pictures of diazepam Humidifier manual supersonic bbw mature free insurance cover levitra grand theft auto hardcore cheats stock index trading tax consequences cheaper short term health insurance Manga porn toons tire nomenclature Discount phone card asia Long stay travel insurance poland

mafalda simoes disse...

boa tarde.. antes de mais nada temos de pensar q ha uns anos atras n havia epidurais e as mulheres tinham de sentir as dores e ter os filhos.. mas felizmente a medicina avançou e ja n e necessario sofrermos tanto.. eu fui mae aos 18 anos tive o meu filho no hospital de cascais e jurei para nc mais..rebentaram me as aguas as 22.30 e passei a noite cheia de contracçoes numa sala escura sem ninguem..no dia a seguir pelas 11.00 da manha pedi pela epidural pois ja n aguentava rantas dores insuportaveis pois as mnhas contracçoes n eram na barriga e so tinha 3 dedos de dilataçao.. desculpem se estou a dizer alguma gafe mas eram nas costas.. sera contracçoes desculpem se n e assim o nome.. ainda por cima puseram me o ctg e tive de estar de lado pois so assim se ouvia o coraçao agora imaginem o q e estar c dores e deitada de lado estas horas todas sem nos pudermos mexer.. so as 11.30 me vieram administrar a epidural sinceramente n senti sequer a picada a dor era tanta... dps da primeira levei mãis dois reforços.. mandaram me para a sala de partos as 16.00 eu quase n me conseguia mexer.. tentaram tirar o meu menino a ferros mas la devem ter percebido q eu estava mt mal mesmo e disseram.. "tem de ir de urgencia para uma cesariana pois o bebe ja esta a mtas horas sem liquido e pode entrar em sofrimento" imaginem a mnha cara.. desesperei pensei logo no pior.. levaram me para a sala.. sei q estive a dormir na cesariana n sei pq.. sempre me disseram q estamos acordados.. nc percebi... o meu menino nasceu as 17.25 da tarde.. hj penso nos momentos dificeis q passei e se n tivesse sido a epidural n sei se tinha aguentado ja devia andar a trepar paredes.. :) so noto q passados 3 anos de vez em qd sinto umas dores insuportaveis na coluna coisa q n sentia antes.. efeito secundario?? n me perguntem n sei responder.. bjs para todas.. aqui fica o meu testemunho..

Anónimo disse...

Thanks :)
--
http://www.miriadafilms.ru/ купить фильмы
для сайта aervilha.blogspot.com