quinta-feira, fevereiro 17, 2005

regresso...ao passado!


acabei de vir de uma experiência por um lado gratificante mas, por outro...tenebrosa!! Hoje, integrada nas aulas de preparação para o parto, fomos visitar o Garcia da Orta...e eu, sem preparação mental prévia, acabei por me ver novamente nas urgências obstétricas onde estive há quase um ano pelos piores motivos...nem sequer me tinha passado pela cabeça que, obviamente, iriamos lá passar e, digo-vos, foi um baque daqueles...ver a sala da consulta, a sala da eco...uma merda!

o que vale é que depois a minha cabecinha se virou para coisas bem mais importantes como o bloco onde toda a acção acontece e, apesar de a enfermeira ser uma palerminha e de as boxes serem minímas (!!!), foi bom conhecer aquele local com que todas fantasiamos...

apesar de os planos não passarem pelo Hospital de almada, foi bom saber como são todos os procedimentos e tirar algumas dúvidas...

agora é convencer a minha médica de que gostaria de visitar a maternidade da Estefânea...antes do parto! A primeira vez que lhe falei nisso respondeu-me que isso era tudo "conversa de qualidade de serviço" e que não servia para nada...

ps - ainda não sei como são as visitas na estefânea mas acho incrível que no garcia da orta os pais só possam estar com a mãe e filho duas horas, ao início e final da tarde...!!

11 comentários:

JoaoN disse...

> A primeira vez que lhe falei nisso
> respondeu-me que isso era tudo
> "conversa de qualidade de serviço"
> e que não servia para nada...

> ainda não sei como são as visitas
> na estefânea mas acho incrível que
> no garcia da orta os pais só possam
> estar com a mãe e filho duas horas,
> ao início e final da tarde...!!

Não sei se já te disse que se algum dia resolvermos dar um irmãozito à Rita, será certamente na Irlanda... :-/

Carla disse...

Inês querida, imagino que tenha sido doloroso, mas ainda bem que conseguiste olhar para a frente e pensar no teu filho lindo que aí vem. Está quase! :)) Penso que os pais deveriam poder estar com a mãe e filho o tempo que quisessem, essas imposições são horríveis. Pode ser que na Estefânia seja diferente, não sei. Beijo enorme.

Titia+++ disse...

Deixa lá, Pretjinha, é pouco tempo, por pouco tempo: ao fim de 48 horas põem-te na rua! Pelo menos na MAC é assim.
(A fingir que acabei de sair de lá e tal... :-))

ni disse...

Espero bem que na Estefânia a coisa seja melhor, e o pai-vagem possa estra mais tempo contigo e com o ervilhoco!!! Beijinhos e abraços

Lara disse...

Ontem não conseguia comentar, mas aqui ficam os horários de visita da Magalhães Coutinho:
14 às 16h (visitas da família)
18 às 19 (visitas com crianças com menos de 12 anos)

--- 12 às 20h (visita do pai)---

Queres ver que ainda vamos ser companheiras de quarto?... Se eu for para lá, claro!

Célia Kuesters disse...

Olá Inês,
Já algum tempo acompanho o teu blog, e hoje resolvi dizer-te qual a minha experiencia no Garcia de Orta (G.O.). Eu fui ter a minha Marta lá, porque o meu médico sempre me disse que existia melhor sitio para eu a ter (e ele não trabalha lá!). Quando chegou a hora de a ter lá fomos nós para o G.O., ele esteve o tempo todo comigo (isto pq fui logo para uma box), depois quando subimos para os quartos ele também me acompanhou. O horário das visitas são três (13h-14h; 17h-18h30m; 20h-21h), durante o tempo de intervalo estamos sempre ocupadas, não damos se quer pelo tempo passar!
As enfermeiras não são daquelas chatas que à hora de saida já lá estão a mandar os pais embora, o meu marido chegou a sair de lá as 22h...
E se tudo correr bem, ao final de 48h vens para casa!
Beijocas e se quiseres saber mais estas à vontade!

Célia
http://as-aventuras-da-marta.blogspot.com/

Anónimo disse...

Olá!

Fizeste-me lembrar a minha visita à maternidade onde a I. nasceu (MAC), também no âmbito do curso de preparação para o parto.

Eu, que me deixo influenciar (e muito) pelo ambiente à minha volta, sempre achei importante ter noção do que ia encontrar no dia do parto. Para não ficar a imaginar uma coisa e depois encontrar outra. Para desmistificar. Sei lá!

E ajudou-me muito a relaxar!!

Confesso que me senti mal (fisicamente) no dia da visita.. Tive uma quebra de tensão.. Não sei se foram "os nervos à flor da pele", ou o cansaço de estar de pé aliado ao calor..

O engraçado é que não fui a única, e os médicos (muito simpáticos) foram brincalhões e carinhosos!

Se achas importante, tenta conhecer a sala de paertos da estefânea! Hámaternidades que dã essa oportunidade às futuras mamãs! Informa-te!

Beijinhos e que corra tudo bem!
Xana
http://odiaadia.blogspot.com/

ana disse...

Ainda ontem estive nas urgências obstétricas do garcia... (está tudo bem, foi um valente susto e um inicio de gripe...) mas o médico foi impecável.
O meu primo nasceu lá à pouco tempo e acho que é mesmo isso que dizes... mas sais de lá num instante. Jinhos

Anónimo disse...

Olá Inês, é a primeira vez que comento, apesar de acompanhar a tua história há algum tempo, mas não podia deixar de dar a minha opinião sobre o Garcia de Orta.
Foi lá que nasceram as minhas duas princesas, e não tenho qualquer razão de queixa, tanto na hora do parto (na 1ª vez encontrei uma enfermeira mais enjoada, mas nada qua não se suporte), da segunda vez foram impecáveis comigo, e tudo correu bem. Quando já estás no quarto com o bébe, nem dás por o tempo passar, só quando chega a hora da visita é que começas a desesperar se não vês chegar ninguem conhecido, mas o tempo que lá vais estar é tão curto, as enfermeiras até são simpáticas, desde que não sejas muito resmungona, se souberes levá-las o pápa vagem até consegue estar mais tempo, eu via lá pais por vezes às 23 horas e ninguem dizia nada. è preciso que tenhas muita sorte com a equipe que vás encontrar mas isso é como em qualquer outra maternidade que vás.
Boa sorte.

Anónimo disse...

Olá Inês, é a primeira vez que comento, apesar de acompanhar a tua história há algum tempo, mas não podia deixar de dar a minha opinião sobre o Garcia de Orta.
Foi lá que nasceram as minhas duas princesas, e não tenho qualquer razão de queixa, tanto na hora do parto (na 1ª vez encontrei uma enfermeira mais enjoada, mas nada qua não se suporte), da segunda vez foram impecáveis comigo, e tudo correu bem. Quando já estás no quarto com o bébe, nem dás por o tempo passar, só quando chega a hora da visita é que começas a desesperar se não vês chegar ninguem conhecido, mas o tempo que lá vais estar é tão curto, as enfermeiras até são simpáticas, desde que não sejas muito resmungona, se souberes levá-las o pápa vagem até consegue estar mais tempo, eu via lá pais por vezes às 23 horas e ninguem dizia nada. è preciso que tenhas muita sorte com a equipe que vás encontrar mas isso é como em qualquer outra maternidade que vás.
Boa sorte.

Anónimo disse...

Olá Inês, é a primeira vez que comento, apesar de acompanhar a tua história há algum tempo, mas não podia deixar de dar a minha opinião sobre o Garcia de Orta.
Foi lá que nasceram as minhas duas princesas, e não tenho qualquer razão de queixa, tanto na hora do parto (na 1ª vez encontrei uma enfermeira mais enjoada, mas nada qua não se suporte), da segunda vez foram impecáveis comigo, e tudo correu bem. Quando já estás no quarto com o bébe, nem dás por o tempo passar, só quando chega a hora da visita é que começas a desesperar se não vês chegar ninguem conhecido, mas o tempo que lá vais estar é tão curto, as enfermeiras até são simpáticas, desde que não sejas muito resmungona, se souberes levá-las o pápa vagem até consegue estar mais tempo, eu via lá pais por vezes às 23 horas e ninguem dizia nada. è preciso que tenhas muita sorte com a equipe que vás encontrar mas isso é como em qualquer outra maternidade que vás.
Boa sorte.