sexta-feira, fevereiro 23, 2007

ainda às voltas com a coisa..

gostava tanto de (poder) ter sido eu a escrever isto.

mas estaria a mentir se o fizesse.

9 comentários:

Ana A. disse...

É. Chateia o "quem não aparece, esquece".
Ou se é amigo, ou não.

Mãe Frenética disse...

Ainda estás de "luto".

O meu durou uns meses largos, mas acabamos por nos agarrar ao q conta, a quem conta.
Poucos, mto poucos.
Curioso que quem mais me falhou era quem eu menos contava...

Um beijinho grande Inês... gostava tanto tanto de te bater agora à porta e dar-te um abraço...
Sabes q as amizades se fazem em qq idade? :)

juliana pinto da costa disse...

quer-me parecer que somos muitas a sentir o mesmo...
e eu ainda nem tenho filhos... nem consigo sequer perceber essa atitude para com os amigos com filhos. eu cá adoro os filhos dos meus amigos e adoro estar com eles.

mas enquanto uns nos desiludem encontramos outros que nos surpreendem :)

Mar disse...

Na morte das amizades (elas nascem, mas também morrem), como nas outras mortes que enfrentamos durante a vida, tem que se aprender a "deixar ir". Deixar as pessoas seguir o seu caminho, seguirmos o nosso. Às vezes, não há outra solução.

E há que ir acolher outras amizades que vão nascendo. Saber reconhecê-las. Tenho a certeza de que a vida vai colocar no teu caminho muitos amigos. Daqueles com A mesmo grande.

Beijos! :)

Anónimo disse...

Olá...Custumo vir ao teu blog cosntantemente...mas nunca costumo escrever nada...Mas tenho vindo ler, e ficado tirste...Então, que se passa ctg???

Achas que vale a pena "chorar", ficar tirste por quem n nos liga???Se não nos ligam pq temos filhos, ou por outor motivo algum, é pq são pessoas a quem n´so nunca deviamos ter dito sequer um Olá!!!!

Espero que o tue estado de espirito fique melhor brevemente...que te agarres as verdadeiras amizades...e que seja lá o que se esta a passar na tua vida, passe rapido e que volte a ficar tudo bem....

beijinhos e um abraço,

Vânia

São disse...

Não pelas mesmas razões que as mãezocas, mas já senti na pele o afastamento dos amigos.
Porque deixei de ir para a ramboia, porque deixei de "existir", porque me fizeram sentir como 1 leprosa.
Facto é que a triagem foi feita e os que ficaram são bons! Muito bons e isso é que conta.
Sei que não te bato à porta, nem te telefono muito. As desculpas da falta de tempo, trabalho... são isso mesmo desculpas. Se arranjo 2 minutos para te ler no blog, poderia fazer 1 chamada não é?
Fiquei com a sensação que não querias falar muito... Enganei-me?
Para a semana sem falta recebes novidades minhas via CTT.
Beijinho grande para ti e as melhoras da Sarita.

Leonor disse...

Isso custa muito, mas não vale a pena. Não são amigos, não nos merecem...
Beijos

Ana Costa disse...

realmente e pelo que percebi do texto que li, é de invejar as vivencias e convivencias da tua amiga, é tb de invejar as verdadeiras amizades que descreve ter, ainda que poucas.
comigo é igual os verdadeiros tão a kms de distancia e os poucos que estão perto ... não estão. acho que é um mal geral.

beijoca e arriba moça

Anónimo disse...

bias germany potency abusage reside iceberg arrive somehow captains indent maturity
lolikneri havaqatsu