segunda-feira, fevereiro 26, 2007

depois

depois de tudo isto tenho medo de ficar mais insensível. de os problemas do dia-a-dia se tornarem ridículos aos meus olhos. de me tornar fria face aos pequenos dramas dos outros.

depois de tudo isto penso que me vou tornar mais presente na vida daqueles de quem gosto. tão presente como gostaria que eles estivessem agora. porque sei, na pele, a necessidade que uma palavra, um gesto de amizade têm numa situação de dor extrema.

depois de tudo isto a única certeza que tenho é que não voltarei a ser a mesma.

28 comentários:

Patrícia disse...

As circunstâncias da vida mudam-nos, não é?

Sorte do que te são queridos.


beijinhos

As melhoras da Sara.

Mãe Frenética disse...

Pois não, nunca mais somos os mesmos.
Mas digo-te por experiencia q ficamos indiferentes aos pequenos problemas, mas sempre sensiveis a quem nos merece essa sensibilidade.

E olha q nao dar valor ao q nao tem não é propriamente mau.
Eu, qdo me da a furia, olho para uma foto q tenho e de repente essa furia deixou de ter valor e apaga-se.

Um beijinho grande e as melhoras da Sara Miguel (q assim o nome fica lindo!).

Rita disse...

Pois também acho que não vais voltar a ser a mesma... mas nem por isso julgo que vás ficar insensível às pequenas coisas! Beijinho carregado de mimo!!

Costinhas disse...

Tu não te vais tornar insensível, vais é aperceber-te de que há certas coisas que não valem simplesmente a pena.

Essa lição é valiosa. É pena é a forma como nos é apresentada.

Um beijo

Maria disse...

Será que pode contar o que lhe aconteceu? Perdeu algum familiar?
Leio o seu blog há muito tempo, mas agora sinto-me perdida.
Beijinhos

barbarayu disse...

Como te compreendo...

aprendemos a relativizar os problemas menores quando nos deparamos com um o drama de um grande problema...

e, sim, aprendemos também um ombro amigo, um abraço, uma palavra de consolo não têm hora nem dia, e muitas vezes não podem esperar mesmo...

tens o meu ombro amigo, a minha palavra amiga e aposto contigo que os meus braços conseguem estender-se por mais de 300 km :)

um grande beijinho linda!

Anónimo disse...

Sem dúvida nenhuma que há circunstâncias na vida que nos mudam muito... Visito neste blog há já um tempo, e admiro do fundo do coração a maneira e garra com que te vejo defender e debater certos e determinados assuntos, força essa que vi desaparecer perante as " tuas coisas"; ora se por um lado, e corroborando a sugestão do post anterior, não imagino o que possa ter acontecido, o que me dificulta a percepção do teu estado de alma; por outro testemunho que há certas coisas que nos acontecem que nos marcam e nos mudam radicalmente, ao ponto assustador de ficarmos completamente desconfiados de todos os que nos rodeiam e dos nossos alicerces ruirem e nunca mais edificarem como antigamente...
desejo que pelo menos recuperes alguma da força que já testemunhei teres, e que o sorriso inocente dos teus filhos te dê algum alento e esperança.
sofia ( sofiasalves@yahoo.com)

maedefeijocas disse...

...também sou leitora deste blog...não me lembro se alguma vez comentei, mas gosto do que escreve, gosto da forma como "vive" as coisas...também não sei o que se passa consigo...
que posso dizer que ainda não tenha sido dito? se calhar pouco ou nada, mas achei que devia deixar-lhe algumas palavras...
Há pessoas, há situações que merecem pouco ou nada de nós, aprender a relativizar é uma virtude(para mim), e há outras pessoas, e outras situações que nos merecem tudo!
Também o nosso umbigo não é o umbigo do mundo, e as nossas costas não aguentam as dores do mundo!
Força, coragem.
...Também ainda não disse que tem dois filhos lindos!
Sónia

morgy disse...

oh linda, é óbvio que vais ficar diferente, mas fria e insensível isso nunca.
muitos beijinhos

As coisas más da vida servem, nem que seja, para ver quem está perto de nós (mesmo que seja a muitos km de distância).

Ana Costa disse...

Inês, não gosto muito de comentar este tipo de posts, pois receio que me aches intrometida. Mas como te conheço (pelo blog) à bués, vou-me chegar à frente

Quando temos problemas de qualquer espécie, é lógico que nunca voltamos a ser a mesma pessoa. Mas isso não implica que como consequência, toda a nossa personalidade ou feitio venha a alterar o nosso ser mais profundo. Não vamos perder qualidades ou defeitos que foram construídos durante anos através da nossa educação, das nossas vivências e até da nossa genética.

Passo a exemplificar:
se és uma pessoa teimosa (de certo que não o vais deixar de ser)

se és uma pessoa sensível (tb acho que isso nunca irá mudar e ti)

Acredito sim que a tua frieza e insensibilidade possa vir a surgir para com quem te magoou.
Acredito também que aprendemos com os nossos erros e com os erros dos outros e é dessa forma que evoluímos como seres humanos (infelizmente).

Bem e não me vou alongar mais, porque nem sei bem qual é o teu problema … apenas cálculo. Beijo grande

Anónimo disse...

mas oh ines o que se passa? há muita gente que se calhar não conhece mas que passa diariamente por aqui e fica aflita! não quer partilhar, para fazermos uma corrente positiva e dar uma força? seja o que for, já estou a torcer por si...
beijinhos, sónia

nana disse...

you bet....

Monica disse...

Há uma música que adoro dos Cinderella que se chama "Don't know what you got, till it's gone" e é bem verdade...
Boa resolução, amiga :)
Espero que tudo continue a correr bem.
Beijocas

Anónimo disse...

Não sei bem o que se passa...Mas realemtne a muito tmepo que venho ler o blog, e nunca te vi assim....Deve ser algo s+ério..mas pelo que te sei de to (pelo blog, claro) es uma pessoa com força, e vais ultrapssar com certeza o tue problema....Espero do fundo do coração q o faças.....

Beijinhos,

Vânia

Mar disse...

Não vais ser a mesma. Claro que não. Não somos as mesmas depois dos grandes acontecimentos da nossa vida, bons ou maus.

Eu acho que se ficamos mais atentas ao sofrimento alheio. Ao grande, ao verdadeiro sofrimento.

O tempo ajuda muito.
Força! Beijos!

Cindy disse...

Há vários momentos durante a nossa vida que nos marcam e muitos desses momentos além de deixarem marcas também nos transformam profundamente ... és mãe, por isso arrisco-me a dizer que estás bem familiarizada com essas metamorfoses ;); além disso não têm de ser necessariamente para pior ... agarra-te, com muita força, às muitas coisas boas que tens (!!!), de certeza que te sentes melhor ...

Jinhos.

Carla disse...

Linda Inês!

O que te dizer?? Palavras... não chegam! Queria dar-te um abraço! Daqueles que libertam a alma!

Tu nunca serás insensivel! Só o facto de ponderás isso mostra como és sensivel!

Acredita que é um dom saber relativizar os problemas. Só lamento que tenhas aprendido da pior forma.

Espero que re-encontres o teu rochedo!!

Um abraço sentido,
Carla

P disse...

Inês,

o que eu tento fazer em cada situação dificil da minha vida, (é bonito de dizer, mas mais complicado de fazer...) é tentar ver o que aprendi. Por pior que seja o que aconteceu, penso que aprendemos sempre um bocadinho... "o que não nos mata torna-nos mais fortes..."
nem que seja, aprenderes a defenderes-te daqueles que não interessam. Coisas boas ou más, há sempre qualquer coisa a retirar de todas as situações...
penso eu!

muitos beijinhos!
e repito o que disse no mail...

Maria Zezinha disse...

O sofrimento profundo muda-nos. Mas também nos faz "crescer", infelizmente só assim damos valor ao que temos. Estes momentos que estás a passar, e não te quero mentir, nunca os vais esquecer. Sei por experiência própria. Mas tenta aproveitar todos os minutos para dizeres o quanto amas. Um abraço bem apertadinho. Estamos contigo em pensamento.

Kika disse...

Espero que esta fase menos boa passe depressa e que tudo corra da melhor maneira possível.
Beijocas e um abraço apertadinho.

P.S. Espero que a Sara esteja melhor.

Luna disse...

Bem inês pelo percebi estas a passar por um periodo negro na tua vida, agarra-te aos teus verdadeiros amigos e a tua maravilhosa familia neles vais encontrar toda a força que precisas. Não tenhas medo não vais tornar insensivel, tornas-te mais calculista e acredita que com tempo vai dar todas as respostas que precisas. mta força e coragem e as melhoras da sara
beijinhos doces
Luna

Sandra disse...

Eu sinto que a vida me "embruteceu", de algum modo...
Isso, ou passei de facto a relativar mais as coisas e dar importância única e exclusivamente ao que realmente importa....

Percebo que estás a passar por um momento muito difícil e quem me dera ter palavras mágicas...

Que tudo se resolva pelo melhor e rápidamente é o que desejo.

Um grande beijinho, linda.

AnaBond disse...

e eu sou tão má amiga às vezes...

beijo muito muito grande.

Susie disse...

sEu não diria que ficas mais fria e insensível, mas sim mais "resistente". Depois de passarmos por determinadas coisas é mais difícil irmo-nos abaixo. Mas tens razão. Não voltarás a ser a mesma.

Mesmo não te conhecendo pessoalmente, estou aqui deste lado a pensar em ti. Penso muitas vezes em ti. (estranho, não é?)

Beijinhos

rakel disse...

insensível nunca vais ficar. a tua escala para medir o sofrimento é q muda.
se precisares de mim sabes onde estou.
força!
beijinhos

dia-a-dia disse...

A natureza do teu carácter é inabalável, Dona Lua, ainda que a vida te vá calejando as mãos e o coração.

Abraço longo, longo.

MC disse...

Querida Inês,

Sempre achei e acho que o sofrimento não nos torna melhores pessoas. Nunca consegui encontrar um sentido para a dor. Uma razão. Por outro lado, acho que as estúpidas e desnecessárias tragédias que todos nós acabamos por experimentar (infelizmente)um dia, nos ensinam a relativizar. Não acho também que o sofriemnto nos torne piores.

Mudar? Todos mudamos. Sempre.

Um abraço grande e forte.

Anónimo disse...

Acho que ficamos diferentes, sem duvida, ficamos mais atentos às pequenas coisas, a dar mais valor ao que antes não dávamos atenção, mas continuamos sensiveis...eu continuo a chorar de alegria e de tristeza com muita facilidade e a preocupar-me com quem merece.Mas...sem duvida mais intolerante com a m**** das mesquinhices do dia a dia, lembro-me do meu pai no hospital entubado, cheio de dores, meio cá e meio lá e lembro-me do drama de uma amiga que tinha perdido o namorado à pouco tempo...Não tive paciência, não consegui fingir!!

As prioridades mudam e muitas vezes isso não nos torna piores, a mim, tornou-me mais assustada e a dar valor a pequeninas coisas...Acho que em parte foi a dor que me ensinou o quanto fácil é ser feliz, basta estar atento...
Beijo
SJ