domingo, abril 01, 2007

máquina do tempo - II

há dois anos atrás, por esta hora, estava eu deitada numa cama da Maternidade Magalhães Coutinho a rogar pragas a todas as enfermeiras que me diziam que continuava sem dilatação e que assim não havia epidural para ninguém...

(e achava que a cada contracção não ia aguentar. e o pai-vagem dava-me coragem e dizia-me que sim, que aguentaria até ao fim..)

2 comentários:

Rita disse...

Ainda?! Ninguém merece!

Marga disse...

(suspiro profundo e nostálgico... o meu, claro!) Eu quero outra vez!!!
beijinhos e muitos parabéns :)))