quarta-feira, novembro 17, 2010

ai pá...


é que é mesmo isto!

(o diogo tem algumas dificuldades com o português e a meio dos trabalhos de casa temos sempre que parar um bocadinho...ele promete que não faz birra, eu prometo que não me zango, inspiramos os dois e seguimos caminho!)


(as fotos andam atrasadas e desorganizadas mas não esquecidas...)

12 comentários:

Lígia disse...

Olha, eu sempre fui muito boa aluna na primária, era daquelas a que a profesora mandava baixar o dedo "porque tinha de dar hipóteses aos outros meninos"! Portanto os trabalhos de casa nunca foram problemáticos, à excepção...das terríveis e maléficas contas de dividir!! Acabava sempre a chorar quando o meu pai me vinha ajudar a fazê-las, ora de raiva ora de vergonha...foi sempre o meu calcanhar de aquiles! E olha, se não fossem as máquinas de calcular, ainda hoje aos 26 anos não me safava...err... ;P

Cláudia disse...

O texto é aplicado também à minha filha.
Chego à conclusão que muitas palavras sabem ler, porque já as decoraram...

Enfim, é preciso persistência, mas tento não exagerar, para não se criar nenhuma aversão à Língua Portuguesa.

Beijos

Zuza disse...

been there Inês. take it easy.

e so shame on me que não tive a calma de respirar fundo. zangamo-nos tanto mas tanto. e agora, passado um ano, qdo a ouço ler seja a adormecermos a mini a ler poesia ou lengalengas, seja a "representar" textos e sonorizar personagens ainda fico com os olhos nublados. de orgulho dela. de vergonha de mim. que me zanguei tanto com a miúda que passado um ano lê melhor do que muita gente grande.

take it easy, ok? ;))

vasco disse...

Inês
Creio que as dificuldades da generalidade das crianças na aprendizagem da leitura e escrita radicam num modelo de ensino ultrapassado.
Eu sou um defensor cada vez mais convicto do movimento da escola moderna, que opta por uma abordagem diferente na aproximação à simbólica que interpretamos como palavras.
"Pato" é... pato. Não é P+A+T+O.
São lógicas distintas. Eu acredito mais nesta segunda.

Susie disse...

Dá-lhe tempo. A evolução vai ser de um dia para o outro, vais ver. Um dia dá-se o "click" e percebe a mecânica. Com o Henrique foi assim e hoje posso dizer que é um leitor. Adora ler!

rosinha_dos_limoes disse...

Dá-lhe tempo ... ele não tem de saber ler já ... apesar dos trabalhos dizerem "lê e copia" ... penso que é mais para criar realmente o habito de pelo menos tentarem ler ... no movimento da escola moderna (que não conheço por experinecia mas por acaso não me agrada muito) até tenho ideia que realmente decoram tudo e não sabem ler, mas chegam ao Natal e já o fazem bem ... no modelo que nós aprendemos penso que já vão conseguindo dizer bem algumas silabas ... de qualquer modo da mesma maneira, chegam por altura do Natal ou inicio do ano e ficamos de boca aberta com a facilidade com que já o fazem.

E se não for logo pelo Natal não te preocupes ... cada um tem o seu ritmo, de um dia para o outro dá-se o clic

Eu percebo-te ... mas vais ver que depois com a Sara nem te vais preocupar ;o) (que é o que me está a acontecer com a Marta)

Helena Barreta disse...

Antes de se zangar lembre-se que tudo é novo para ele, lembre-se da sua mãe no seu papel de agora.

Monica disse...

Devagar se vai ao longe ;)
Beijocas grandes!

Susie disse...

O Henrique aprendeu pelo Movimento da Escola Moderna, mais exactamente pelos método das 28 palavras, e pelo Natal já lia muita coisa. Parece inicialmente que se trata de decorar (também me pareceu), mas não é nada disso. Trata-se muito mais do uso da lógica do que da memória e eles aprendem muito mais por si próprios. A aprendizagem da leitura no método das 28 palavras é um processo de (auto) descoberta...são-lhes dadas as pistas, as ferramentas básicas e eles depois aprendem por eles a mecânica. É muito giro. Em termos de aprendizagem penso que é até mais rápido inicialmente, embora tenha ideia que demoram mais tempo a ficar a ler mesmo bem. O consolidar é mais demorado.
Uma coisa muito curiosa é que parece-me que dão menos erros. Mas aesta opinião é apenas da observação dele e da turma dele e são apenas 14...vale o que vale.

Susie disse...

O Henrique aprendeu pelo Movimento da Escola Moderna, mais exactamente pelos método das 28 palavras, e pelo Natal já lia muita coisa. Parece inicialmente que se trata de decorar (também me pareceu), mas não é nada disso. Trata-se muito mais do uso da lógica do que da memória e eles aprendem muito mais por si próprios. A aprendizagem da leitura no método das 28 palavras é um processo de (auto) descoberta...são-lhes dadas as pistas, as ferramentas básicas e eles depois aprendem por eles a mecânica. É muito giro. Em termos de aprendizagem penso que é até mais rápido inicialmente, embora tenha ideia que demoram mais tempo a ficar a ler mesmo bem. O consolidar é mais demorado.
Uma coisa muito curiosa é que parece-me que dão menos erros. Mas aesta opinião é apenas da observação dele e da turma dele e são apenas 14...vale o que vale.

vasco disse...

Susie, o MEM tem de facto uma abordagem diferente à aprendizagem da língua, mas não apenas. A principal diferença está na aprendizagem do "viver em conjunto". É aí que o MEM faz, na minha opinião, a maior diferença.

Luna disse...

ai o português sempre meu tendão aquiles que começou na primária, já matemática e meio fisico cheguei a ganhar prémios de mérito. Espero que meus filhos não herdem este defeito.
não zangues com ele, lembra-te ele tem 5 anos na lógica relógio idade deles estão na pré, com tempo ele chega lá!
bjos
Luna