quinta-feira, novembro 04, 2004

Americanices


Hoje perdi mais um pedaço da esperança que ainda vou (ia?) depositando neste nosso mundo globalizado...

Example
(origem do cartoon)

7 comentários:

Anónimo disse...

Já somos duas... :( Beijo grande. Carla (Papoila)

Paula disse...

É uma desgraça muito grande...

eu disse...

Sabes a quem eu o comparo? - Ao Ferreira Torres... Não sei se o Bush é um FTorres à escala americana, ou se o FTorres é um Bush à escala portuguesa, mas lá que são farinha do mesmo saco saco, isso são... É tudo show off pr enganar o pobão.

Margarida Atheling disse...

Eu também fiquei assim. Mas já há algum tempo que me preparava para um desfecho assim.
Pobre mundo!

Susana Vasconcelos disse...

Olá Inês. Antes de mais queria dizer-te que concordo plenamente contigo. Onde vai parar este mundo onde os nossos filhos vão crescer? É angustiante...
Eu também descobri há cerca de um mês e meio que estou grávida! Fiquei muito feliz! E para partilhar estes momentos emocionantes da minha vida resolvi criar um blog, mal eu sabia que havia tantos à cerca do tema! O teu despertou-me particular interesse, já que desde a minha primeira eco, às 6 semanas, comecei a chamar "ervilhinha" ao meu bébé! Tinha cerca de 7mm na altura. Quando descobri o teu blog achei imensa piada!
Queria desejar-te as maiores felicidades p ti e p a tua ervilha!
Já agora fica aqui a morada do meu, caso queiras espreitar: debebe.blogspot.com

Mad_Mom35 disse...

Perdeste tu e perdemos todos nós amiga... afinal as diferenças entre nós e eles ainda são enormes... bem maiores do que muitos pensam. E o que me incomoda mais é que o americano médio tá-se pouco borrifando pró resto do mundo (quantos saberão onde é o Iraque ? e quantos saberão onde fica Portugal ?) Eles tem o que merecem mas o pior é que isso nos afecta a todos. Muitos beijinhos, Madalena

ni disse...

Pois é Inês, é atroz pensar que as nossas ervilhas/feijões vão nascer num mundo onde a maior potência mundial é governada por aquele mentecapto...

Beijinhos e abraços e muita empatia
Lia, heitor e Íris