terça-feira, maio 30, 2006

zZzzZzzZz (post muitíssimo atrasado)

como se devem lembrar, aqui há uns meses andámos a lutar contra as más noites que o diogo começou a dar. nessa altura, como em outras, solicitei ajuda aqui no blog e comecei, também, a investigar o assunto online.

lembro-me que um dos pontos que mais vezes vi focado aqui e por essa net fora foi o das rotinas. ora o diogo não tinha absolutamente rotinas nenhumas: dormia às horas que percebiamos que tinha sono, quer fosse de dia ou de noite. começámos por tentar alguns esquemasque não deram certo mas depois percebemos que a coisa não ia só com uns dias e resolvemos adoptar um esquema certo durante umas semanas para ver os resultados. começámos então a dar-lhe o jantar mais cedo, dar-lhe banho de seguida e depois o leite (adormecia a bebê-lo quase sempre). com o passar dos dias percebemos que ele devia acordar com fome de noite e passámos a dar-lhe o leite só pelas 23h/24h. esta mudança foi complicada por 2 motivos: porque normalmente ele adormecia sempre com o leite (e sem leite a coisa ia ser mais difícil) e porque morriamos de medo de ele despertar à meia-noite e não voltar a dormir. de qualquer modo, conseguimos e as noites começaram a correr melhor. estabelecemos então um plano que se mantém até hoje: jantar seguido do nosso jantar, banho, história na cadeira de baloiço e cama. neste momento já não lhe damos o leite da noite (começou a beber pouco e a pediatra disse que não fazia falta) e tentamos que adormeça sózinho.

um conselho que dou a quem esteja com problemas e também necessite iniciar uma rotina: nas 1ªs semanas sejam MUITO rigorosos e não deixem que nada interfira com a rotina que desenharem. lembro-me que durante algumas semanas nós informámos as nossas famílias que não poderiamos ir jantar a lado nenhum e que também não queriamos ninguém em nossa casa. é duro mas o resultado final compensa!

lembro-me também que na altura li umas coisas sobre as sestas: supostamente também elas deveriam obedecer a uma rotina de horários mais ou menos rígidos. ora isso para mim era impossível de conceber: o meu filho, durante o dia, dormia à hora que precisava, não era eu que lhe ia dizer quando dormir, certo? errado! o diogo, assim que começou a ter um horário para dormir à noite, começou também a fazer as suas sestas em horário mais ou menos certo (1 de manhã e 1 de tarde). por estes dias penso que vai começar a tornar-se um hábito uma única sesta diária a seguir ao almoço porque é isso que ele nos tem mostrado precisar actualmente.

para finalizar: eu acredito verdadeiramente que os nossos filhos nos dizem tudo aquilo que precisam. o diogo disse-nos que precisava de uma rotina para dormir. nós actuámos em conformidade. os resultados não se fizeram esperar. acima de tudo é necessário estarmos atentos ao que os miúdos nos vão transmitindo, não esquecer que eles crescem de dia para dia e ir "limando" as rotinas conforme as suas necessidades.

ps - também já deviamos estar a criar rotinas saudáveis à sara...a verdade é que a rotina que ela tem neste momento é do piorio: adormece no carrinho, embalada e só a colocamos na cama quando está ferradinha :| com o tempo, quando ela acalmar mais um bocadinho, logo lhe tratamos da saúde!

16 comentários:

Sousas disse...

Ola Ines,
Parabens pela atitude!
Eu tambem sofri da falta de
"rotina" e com o meu mais pequeno foi muito dificil ate ao 7 mes, nao dormia mais de 1 a 2 horas seguidas dia/noite,tivemos que tomar uma medida drastica, que passou pela rotina, e um saco de dormir muito apertadinho e imediatamente passamos de 2 horas para 4....
Parabens outra vez e coragem para a continuacao.

Ana disse...

Os miúdos precisam mesmo de rotinas. Eles já lidam com tanta descoberta e actividade diária que se não têm a rotina bem definida ficam stressados.
Dás banho ao Diogo a seguir ao jantar e não tens receio que pare a digestão?

Patrícia M disse...

Eu era uma das que tinha curiosidade sobre o que tinhas feito para conseguires boas noites. Felizmente que entretanto a coisa resolveu-se por si so, e agora o Miguel dorme 12 a 14 (!!) horas. Mas essa parte da rotina já eu fazia há algum tempo. Tudo o que dizes é 100% verdade. A rotina é a coisa mais importante para eles se sentirem bem. A nossa pediatra sempre batalhou neste assunto e ainda bem. Quanto ao banho depois do jantar... não achas complicado? Não poderá parar a digestão? Porque não dás antes?

Beijinhos. E boas noites... :o)

Alda disse...

Olá!
Cá em casa também se usam desde sempre rotinas certinhas com as crianças. Porque é realmente com as rotinas que se conseguem os melhores resultados.

Ainda bem que resolveste a questão dos sonos! :)

(em relação aos banhos depois da refeição... o pediatra dos meus filhos diz que não tem problema nenhum desde que a temperatura da água seja igual à temperatura do corpo. O que causa paragens digestivas são os choques de temperatura.)

Xana disse...

Que bom!

Há poucas coisas que valorizo tanto como as rotinas do sono!!!

Catarina disse...

Eu defendo que os bébés se não dormem de noite é porque alguma coisa não está bem e não por mau feitio...(ai se eu tenho um que chora a noite toda...aiii...)
Inês, como pudeste constatar, o problema do Diogo era falta de rotina, foi resolvida essa questão, ele começou a dormir melhor. :)


Bjs

Catarina

LP disse...

Aqui está o verdadeiro serviço público!

Diogo Mestre Rodrigues disse...

Obrigado Inês!

mamã Diana disse...

Nós também criámos uma rotina ao Francisco, à noite: banho, maminha e caminha. E é a noite toda! E nada de visitas depois das 21h/22h. Está toda a gente avisada...

Beijocas.

Xana disse...

Concordo com tudo. O Vasco acorda umas 4 a 5 vezes de noite, coloco-lhe a chucha e fica, mas parece que durante a noite tenho uma mola no c*! Tem rotinas defenidas, mas como começou a chuchar à pouco tempo ainda não sabe ir buscá-la às escuras...
Acho muito importante o que disseste no P.S., por outras palavras digo o que costumo dizer: temos de lhes colocar regras que são iguais para todos, mas que temos de adaptar a cada um, pois eles não são iguais!

Beijinhos e força para cada dia de "luta"!

Costinhas disse...

:)

Ainda bem que assim foi!

Rute disse...

Concordo plenamente com aquilo que disseste neste teu post, Inês!

As rotinas são muito importantes no dia-a-dia dos pequenotes.

Beijocas,
Rute e André

Carla disse...

Olá Inês,

Há 2 semanas atrás escrevi isto: http://em-busca-da-ervilhinha.blogspot.com/2006_05_19_em-busca-da-ervilhinha_archive.html

E é exactamente como dizes! Custa um bocadinho no inicio mas deposi compensa!!! A Beatriz agora anda a dormir lindamente!

Beijinhos,
Carla e Beatriz (a caminho dos 8m)

barbarayu disse...

Olá!

Ainda bem que ultrapassaram a questão :)

Eu também acho que os nossos filhos nos comunicam as suas necessidades.

Do memso modo, provavelmente a Sara também vos estará a comunicar as dela: precisa de miminho e de colinho extra (não acho nada que sejam hábitos "do piorio" :) - o andré também é assim e inclusivé dorme connosc\o algumas vezes e o vasco adormecia sozinho e dormia a noite toda desde os dois meses...

muitos beijinhos!

:))

Filipa disse...

estava a precisar de ler isto.
Já tinha noção da importância da rotina e de dormir bem a noite - para a Matilde para mim...mas as coisas andam muito complicadas.
Eu já tentei a rigidez, mas é muito dificil implementar enquanto estou em casa dos meus pais, com tios a aparecer por todo o lado e cheia de "estímulos" até às quinhentas. Mas está prometido - casa nova, vida nova! Sim, porqeu eu também preciso de ter alguam qualidade...de sono!!

rute28 disse...

Ola,eu engravidei do meu segundo filho tanha a minha filha 2meses e 3semanas estive a ler o blog e nunca vi alguem passar o mesmo que eu .A dureza que falas quando a tua menina nasceu eu senti a mesma coisa, e o facto do meu bebe chorar noite e dia, e ter uma de 1 ano tambem para cuidar e sozinha porque o meu marido trabalha fora.Quase se perdeu tudo foi muito sofrimento a unica lembrança que tenho do meu segundo filho de bebe é ele chorar noite e dia.Tive uma depressão pós parto com 1 recaida que quase me levou a vida. Ainda hoje me custa falar dessa altura. Ela tem quase 6 anos e ele quase 5 tudo passou mas não ficou esquecido.Mas fui eu que me curei tive apoio medico mas, muito pouco familiar (alguns nem sabem o que passei)o meu marido ajudou como pode(só quando as coisa se tornaram muito serias é que ele precebeu)e estou aqui forte e com os meus momentos de felicidade e a amar muito os meus filhos e a pensar em outro.bjs