segunda-feira, setembro 04, 2006

o 1º dia em 3 takes

1º take: o diogo entra no colégio e vai-se maravilhando com todos os bonecos que vê. aguardamos um pouco e depois explico à sra. da recepção que não fomos convocados para a 1ª reunião. parece que houve tentativa de contacto (1?!). enfim. vamos conversar com a educadora. 1º dia também para ela. mau pela insegurança, bom pelo empenho e vontade de trabalhar a sério. a 1ª impressão foi boa. o diogo entra pela sala dentro como se fosse rei e senhor. estranha o colega que chora desalmadamente mas depressa se entretém com todos os brinquedos que encontra no chão. distribui a papa que vai apanhando (frutos e legumes de plástico) pelos pais, educadora, auxiliares e até pelos outros pais presentes. é o miúdo mais velho da sala (tem tanto de bom como de mau, não perco muito tempo a pensar no assunto). tiramos fotografias, conversamos com a educadora e auxiliares e percebemos que todas as crianças ficam já o dia inteiro. conferenciamos um pouco e decidimos fazer o mesmo. o diogo fica bem disposto, na brincadeira, enquanto rumamos a casa para vir buscar o que falta.

2º take: regressamos ao colégio e não encontramos ninguém na sala. ouvimos (muito) choro na casa-de-banho e espreitamos. o diogo sai disparado, olhos marejados de lágrimas, em direcção a nós. quase todos os miúdos choram e confirmamos que o sono espreita em todos aqueles corpinho. vou deixar as coisas à sala enquanto o pai-vagem fica com o diogo. passamos depois para a mesinha das refeições onde vão almoçar. o diogo é o 1º mas não se deixa conquistar pela papa. quer colo, quer mãe. chora MUITO. ainda perguntei se queriam que lhe desse o almoço mas disseram-me que depois seria mais difícil. saímos e deixamos o diogo a chorar desalmadamente e a chamar pela mãe.

3º take: saio e choro. claro.

hoje vou buscá-lo mais cedo. tenho uma grande esperança de que, depois de dormir, fique bem. mas pergunto-me se comerá. se dormirá. e dói-me. dói-me sabê-lo confuso, perdido.

faço-me forte e penso que são só os 1ºs dias. que é um miúdo que se adapta bem, que fica bem com os outros. que é o melhor para todos.

mas nada me tira esta sensação. que não sei descrever.

25 comentários:

Sophie disse...

Só o tempo e a melhor adaptação dele te tirarão essa sensação.

A confusão é normal. Ainda por cima se a educadora também é nova... deve andar um bocado aos papéis. Mas com boa vontade tudo se consegue.

Como tens possibilidade de ficar com ele em casa, podias levá-lo menos tempo esta semana. Deixar que a própria educadora estabilize as rotinas e na próxima segunda-feira, com tudo mais calmo, deixá-lo todo o dia.
Mas logo vês o que é melhor.

Maria Zezinha disse...

Inesita, n te preocupes demasiado. Sabes que é normal eles chorarem nos primeiros dias. logo,logo vai ficar bem e dizer-te adeus sem chorar! Tenho a certeza. O que é preciso é falar com ele e dizer-lhe sempre que a mãe/pai o vão buscar á tarde. É necessário ele perceber que não é abandonado ;)))

paularaulrodrigocésar disse...

Compreendo-te. Até com a minha mãe me custa deixá-lo. Quero que vá brevemente para o infantário, mas não quero... Sofro imensamente por antecipação.

Xana disse...

Também acho que é uma questão de tempo, mas estou de lágrimas nos olhos a imaginar a sensação que sentes e que eu também vou sentir daqui a uns mesinhos...


Beijinhos

Raquel disse...

A reacção dele é perfeitamente normal.
Mais uma vez, acho que se as coisas tivessem sido feitas com organização por parte do colégio vocês não teriam de ter ido a casa e teriam sido poupados a vê-lo chorar e ele não teria de vos ter visto 2ª vez ( não muito bom).
Mas pronto...nada de te ficares a sentir assim. Vai tudo correr bem.
Daqui a 1 mês nem te vais lembrar deste dia.
Coragem.
Beijocas

Miduxe disse...

Faz agora um ano que vivi algo parecido; Compreendo-te bem,mas também é verdade que esta "separação" é necessària ao seu crescimento...
Eu fiquei com ele no infantàrio nos primeiros dias e por pouco tempo(umas duas horas); Depois quando o comecei a deixar o dia todo, NUNCA cai na tentação de lá voltar para espreitar se ele estaria bem,há que fazer confiança às educadoras e aos piolhos; Se eles nos vêm é para voltarem para casa...
o meu piolho chorou quase todos os dias em que o là deixei,ao ir buscà-lo já as làgrimas estavam esquecidas! E o desenvolvimento é notório;
Coragem e dá-lhe conforto e segurança;
Bjs

ana disse...

um beijinho, inês. essa sensação só vai acalmar com o tempo e tu sabes. e sabes outra coisa? ao fim do dia já o tens outra vez nos braços, para conversares e brincares com ele e dares os miminhos todos.

Lúcia disse...

Imagino que seja muito dificil, dentro em breve passarei pelo mesmo, medo, mto.
Bjnhs

dia-a-dia disse...

Ai, Dona Lua, Dona Lua! Que eu hoje deixei a minha num pranto, vermelha que eu sei lá a trepar por mim acima... E olha que ela está nesta creche desde os 5 meses!!! Nunca tinha acontecido... São fases, sabes? A idade deles agora é muito má para estas aventuras, mas vai passar.

Beijo.

avena disse...

Falar é fácil, eu sei... mas tudo vai correr bem, é mesmo a adaptação! Tb vou passar por isso para o ano e tb sei que me vou sentir como tu... mas passa! ;)
Daqui a 1 semana não quer é sair de lá!!

Jokas gordas aos 3 ;)

Klaudia disse...

Deve custar realmente muito. Mas faz parte...
Um grande beijinho

ursitazul disse...

realmente só o tempo acalmara o choro do diogo e o coração da mãe.
Mais uma etapa...

Era uma vez a vida disse...

Se me custa deixar a minha que já lá anda desde os 7 meses nem imagino o que seria deixá-la lá depois de um ano e tal com a mãe em casa. Sabes que li algures que o eles ficarem a chorar até é bom sinal, quer dizer que percebem e sabem exteriorizar o que sentem, se reprimissem estes sentimentos (medo, angustia, etc) seria mau sinal...acho que tem lógica não? Por muito que nos custe, eles já percebem muito bem o que está a acontecer.
O Diogo parece-me um miúdo bem disposto e social (para além de esperto e lindão) vai-se dar super bem na creche vais ver, daqui a uns tempos pede-te para ir brincar com os meninos ;)
Concordo com a Sophie acho que na primeira semana (pelo menos) deves deixá-lo menos tempo e ir aumentando gradualmente o tempo que ele fica (a Di ficou primeiro só a parte da manhã, depois ia buscá-la a seguir ao almoço, depois começou a dormir a sesta e a comer a papa e ia buscá-la depois pelas 15.30 e só depois ficou a tempo inteiro). Depende dele e de ti mas parece-me melhor ser uma adaptação gradual, não?
beijinhos grandes e força!

Patrícia M disse...

É tao natural a reação do Diogo como a tua. Mas faz parte da vida, afastar-nos da nossa mae/pai. Mais cedo ou mais tarde, acaba por chegar a todos e na minha opiniao quanto mais cedo for, menos sofrem.
Porque não ponderas em deixa-lo lá aos poucos, em vez de ser por "atacado"? Não será menos violento nos primeiros dias, não almoçar lá?
Não me leves a mal a sugestão. Mas eu cheguei a por o Miguel num colégio (antes de ficar doente) e a primeira dica que a directora me deu foi na primeira semana não almoçar lá. 1ºs dias só de manha, 2ºs dias de manha e almoço, e nos ultimos dias, tentar deixar dormir que era o mais complicado.

Beijinhos e boa sorte

Sónia disse...

Olá Inês!
Não desesperes! Daqui a uns tempos vai chorar pq não quer sair do colégio!!!

Um beijinho

mulher elástica disse...

Concordo com tudo o que foi dito, mas sobretudo acho que deves ir devagarinho...
Os meus já começaram na sexta e para mim foi tão dramático como da 1ª vez.

bekas disse...

É o primeiro dia... acho que todas as mães choram..
Eu chorei, tinha ela 5 meses.
Depois, eles passam a ficar com um sorriso nos lábios. Enquanto isso não acontece, um beijinho de consolo.

Anónimo disse...

Olá, Inês
É a 1ª vez que te deixo um comentário, apesar de te acompanhar desde Julho de 2005, altura em que comecei a ser leitora assídua de alguns blogs. Tenho uma filha que faz hoje 18 meses e por isso acompanho o crescimento do Diogo com bastante interesse. Tenho partilhado da tua alegria, da tua tristeza, das tuas dúvidas como se realmente nos conhecessemos, fiquei de lágrima no olho quando um dia destes li que estás realmente feliz com os teus bébés e que a fase mais díficil está a passar. Acredita que eu compreendo aquilo porque passaste, a minha filha está comigo o dia inteiro e tenho momentos em que penso que vou dar em maluca. E é só uma.Penso em ti tantas vezes (qd a minha filha começa com as "birras parvas"), "ai coitada da Inês, como é que ela aguenta??!!". Hoje tinha mesmo de deixar um comentário. Amanhã tenho reunião no Infantário da minha filha, já lá fomos na 6ªfeira conhecer a sala e a Educadora. Correu tudo bem, ela gostou e brincou logo com os outros miúdos. Mas nós estáva-mos na sala ao pé dela. Nem quero imaginar quando tiver que virar costas e ela ficar a chamar por mim. Fiquei com o coração tão apertadinho ao ler o teu post...
Bem vou ficar por aqui que o comentário já tem um metro, mas também hà mais de um ano que vos "conheço"...
Muitos beijinhos para ti e para os teus filhotes, que escusado será dizer são LINDOS!
FORÇA para mais esta batalha.
Ana

nana disse...

va, forca que o puto vai-se sair lindamente. da-lhe um tempinho, so...

xX

Carla Dantas disse...

Só espero que a adaptação corra bem.

Estes primeiros dias são vividos com muita ansiedade. Só de pensar fico arrepiada... imagino tu.

Boa sorte - vai tudo correr bem.

Alice disse...

Fico com um nó só de imaginar.
Vou apenas deixar-te um beijinho. Tudo vai correr bem, tenho a certeza.

Licas disse...

Sei tão bem o que estás a passar. Já toda a gente deve ter dito que é o início, depois passa.
E passa mesmo, o ano passado com a Inês foram 15 dias. 15 dias de eu a deixar a chorar ao colo da educadora e de vir a chorar para o carro. Cheguei ao ponto de ficar no carro à espera de a ouvir parar chorar.
É simplesmente horrível. Não devia ser assim.
Mas como tudo, também o Diogo vai ultrapassar esta fase menos boa.
1 bjx

Ana Rute Cavaco disse...

:(

alice disse...

Olá, costumo espreitar o teu blog de vez. Mas acabei de ler o que escreveste de lágrimas nos olhos, pois imagino a angustia que sentiste. O meu filho foi para a escola com 16 meses, e a adaptação foi dificil. Não chorei no 1º dia, pois chorava a minha filha com 14 anos e eu tive que ser forte. Ele agora tem 3 anos e 4 meses e à dias que também são dificeis. Espero que corra tudo bem com os teus filhotes.
Beijinhos;)
Alice

Anónimo disse...

Como sei o que sentes e já passei tanto desde que tive que por as crianças no infantário....dá um nó no estomago,mas pensa que é para o bem deles e que é para serem mais independentes, mais livres....Bj e força....Marisa